segunda-feira, 31 de agosto de 2009

CUIDAR DAS PESSOAS: ESSA É A DIFERENÇA...


Prefeitura redução das áreas de risco na última quadra invernosa
Postado em 31 de agosto de 2009 às 20:02 - Blog do Eliomar de Lima
A prefeita Luizianne Lins (PT) divulgou, nesta segunda-feira, durante entrevista coletiva no Paço Municipal, um balanço sobre a quadra invernosa. Ao lado do diretor-geral da Guarda Municipal e Defesa Civil, Arimá Rocha, Luizianne divulgou os seguintes dados que, agora, colcoamos com maiores detalhes já que em post anterior abordamos mais o aspecto político da reunião. Confira:
- Nenhuma morte em decorrência das quadras chuvosas registradas nos últimos cinco. Resultado da Operação Fortaleza Bela, com a limpeza regular de lagoas, riachos, açudes, canais e bueiros e com a ação preventiva da Defesa Civil do Município, que monitora as áreas de risco e pontos considerados críticos.
- A Defesa Civil atendeu 2.227 ocorrências de 1ªº de janeiro a 31 de julho de 2009. Em 2004, foram registradas 06 mortes e 97.873 pessoas foram atingidas diretamente pelas águas.
- Aproximadamente, 1.661 famílias foram atingidas pelas chuvas este ano, mas não houve feridos. 146 famílias foram abrigadas em abrigos públicos, abrigos solidários, aluguel social e casa cedida.
- As ocorrências se deram com mais intensidade nas Secretarias Executivas Regionais (SERs) II e VI, 435 e 633 ocorrências, respectivamente. Ambas abrangem região litorânea. Na SER I, foram 318; SER III, 265; SER IV,183; e SER V, 393.
- As principais tipologias são alagamento (615), inundação (159), desabamento (235), risco de alagamento (56) e risco de desabamento (509).
- Houve também, segundo a Prefeitura, a redução do número de áreas de risco históricas de 105 para 97.
DETALHE - Foram erradicadas as seguintes áreas de risco: Comunidade Maravilha (Bairro de Fátima); Comunidade Santa Edwirges (Bom Sucesso); Comunidade Maria Moura (Barroso); Comunidade Buraco da Velha (Vila Velha IV – Barra do Ceará); Comunidade Cidade de Deus (Lagamar – São João do Tauape); Comunidade do Sabão (Jacarecanga); Comunidade do Parque Sidrião/ Renascer (Dias Macedo); Comunidade do Arpoador (Pirambu).

VAMOS NÓS: Essa diferença o povo ver. Para desespero de certos saudosistas dos esquemas, gente, aliás, que vem da época dos velhos coronéis...

domingo, 30 de agosto de 2009

BOTANDO A BOCA NO TROMBONE (15)

É revoltante a saúde em nosso Município, nem parir uma mulher pode no hospital de Boa Viagem, tem que parir no Canindé. Não há médicos. Situação das piores, e o Prefeito misturando o Público com o Privado.Ele continua morando fora do nosso Município. ´Realmente é muito revoltante!! (Do blogueiro "Revoltado com Mentiras").



Dicas para navegar no blog:

- Ao acessar o blog "role" toda a página para visualizar todas as últimas quinze postagens. Querendo visualizar as postagens anteriores é só ir ao final da página e clicar em "postagens mais antigas" ou escolher, na coluna da direita, o mês da postagem.

AS CHANCES DE DILMA ROUSSEF EM 2010.


Postado em 29 de agosto de 2009 às 19:34 em Política
“As intenções de voto em Dilma Rousseff empacaram nas últimas pesquisas. Mas o cenário não lhe é exatamente desfavorável. Uma pesquisa do Vox Populi feita para o PT traz duas informações relevantes para mostrar que ela tem chance na corrida para 2010.
A primeira é que quase 50% dos eleitores ainda não sabem que Dilma é a candidata de Lula. A segunda: 25% dos brasileiros dizem que votariam num candidato indicado pelo presidente.
E outros 44% responderam “talvez” quando perguntados sobre o assunto.”
(Veja – Coluna Radar)

RESPEITADO JORNALISTA COMPARA DEODATO RAMALHO A DOM QUIXOTE.

ALAN NETO - JORNAL O POVO - 30.08.09
DOM QUIXOTE
Deodato Ramalho salta na frente como o melhor secretário da nova safra de Luizianne. Qual um D. Quixote, desbrava corporativismos. Meteu na cabeça dar um fim na poluição sonora da cidade. Se a população o ajudar ele derruba tudo. Bravo!

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

SENADO APROVA PISO SALARIAL PARA AGENTE DE SAÚDE.

Postado em 27 de agosto de 2009 às 20:03 em Política
“Menos de quatro meses após ser apresentado, o projeto que cria um piso salarial para os agentes comunitários de saúde em todo o país foi aprovado ontem (26) no Senado. A votação, na Comissão de Assuntos Sociais, ocorreu em caráter terminativo e, com isso, não é necessário o aval do plenário. O texto segue agora para a análise da Câmara. A categoria promete pressionar os deputados para que a votação ocorra ainda este ano – o que permitiria garantir reajustes já em 2010.
O projeto, apresentado em 14 de maio, fixa em R$ 930 – o equivalente a dois salários mínimos – o piso salarial dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias. Pelas regras atuais, o governo federal é quem arca com o vencimento dos agentes e cabe às prefeituras bancar os encargos trabalhistas. Não há um piso e os salários variam em cada localidade. O Ministério da Saúde repassa aos municípios R$ 581 por cada profissional contratado. Os recursos vêm do Programa Saúde da Família. Mas, de acordo com levantamento feito pela Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde (Conacs), cerca de 17% recebem menos que um salário mínimo.
Se o projeto for aprovado no Congresso e sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os estados e municípios terão 12 meses para elaborar os planos de carreira dos agentes e implementar o novo piso.”
(Correio Online)

O POVO - DESTACA NOVAMENTE AÇÕES DO SECRETÁRIO DEODATO RAMALHO.


Vertical S/A -
Deodato propõe boicote a irregulares
Jocélio Leal28 Ago 2009 - 01h12min
O titular da Secretaria do Meio Ambiente e Controle Urbano (Semam), Deodato Ramalho, fez uma exortação durante o programa Vertical S/A, na TV O POVO. Deodato conclamou a população a boicotar bares e casas de show infratores das leis municipais quanto à ocupação do espaço público e responsáveis por poluição sonora. O que o secretário faz é apelar para aquilo que a São Paulo, do prefeito Gilberto Kassab (DEM), conseguiu: tornar cada cidadão fiscal do cumprimento da Lei Cidade Limpa, responsável por limpar a cidade dos abusos ainda enfrentados por Fortaleza. Lá as pessoas podem fotografar infrações e enviá-las pelo celular, por exemplo. A lógica é a mesma das rampas de lixo que se formam na cidade. Hoje, as pessoas até flagram carroceiros despejando o lixo da classe média n’alguma calçada, mas nem sabem a quem apelar. Para que a população compre a ideia, é preciso que a Prefeitura mostre que a Tolerância é mesmo zero e não fraqueje. Aliás, a necessidade de estímulo é da população e também da máquina pública. Sem isso, a máquina engasga.

A propósito, o secretário Humberto Carvalho (SER II) mostra que não pretende ceder ao modelo modorrento de outrora na principal e mais complexa Regional da Prefeitura. Uma prova disso é a movimentação em curso tanto com o Governo do Estado, como na iniciativa privada. Ele tem conversado com o secretário dos Esportes Ferrucio Feitosa. Humberto anunciou entendimentos com a C. Rolim Engenharia e com a Mota Machado para a adoção de áreas públicas. Só na área da Regional II são cerca de 200 praças e afins. Sozinha a Prefeitura admite que não dá conta

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

SUPREMO TRIBUNAL REJEITA DENÚNCIA CONTRA PALOCCI.

Por maioria de votos, Supremo rejeita denúncia contra Palocci
27 Ago 2009 - 20h04min
Já se formou maioria no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) para decidir pelo arquivamento do processo no qual o deputado Antonio Palocci (PT-SP) é acusado da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa e da divulgação indevida desses dados, em 2006, quando era ministro da Fazenda. O Ministério Público Federal (MPF) pedia a abertura de ação penal contra Palocci, o ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso – que teria reportado ao ex-ministro uma movimentação atípica na conta bancária do caseiro – e o jornalista Marcelo Netto, ex-assessor de imprensa do Ministério da Fazenda, apontado como responsável pelo vazamentos dos dados bancários de Francenildo para a revista Época.
Os ministros Eros Grau, Ricardo Lewandowski, Cézar Peluso e Ellen Gracie seguiram o voto do relator, o presidente da Corte, Gilmar Mendes, pelo arquivamento da acusação em relação a Palocci e ao jornalista Marcelo Netto, assessor de imprensa do Ministério da Fazenda à época, e pela abertura de ação penal apenas contra Mattoso. Para esses ministros, há na denúncia apenas ilações sem consistência de que Palocci ordenou a quebra do sigilo do caseiro, ocorrida após Francenildo ter dado declarações à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos dando conta de que Palocci se encontrava com lobistas de Ribeirão Preto (SP) em uma mansão em área nobre da capital federal.
Agência Brasil.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

MORRE UM DOS ÍCONES DA POLÍTICA E DA SOCIEDADE AMERICANA.


Obama: Eduardo Kennedy foi um defensor de sonhos
Postado em 26 de agosto de 2009 às 12:53 em Política
“O presidente americano, Barack Obama, compareceu nesta quarta-feira diante da imprensa para prestar homenagem à figura “singular” do falecido senador Edward Kennedy, a quem qualificou como um “defensor dos sonhos” dos americanos.
Em um comparecimento pela televisão, Obama, que está passando férias em Massachusetts, perto de onde Kennedy morreu, elogiou a coragem com o qual o senador lutou contra o câncer cerebral, que acabou o levando à morte, aos 77 anos.
O presidente destacou que, conforme sua vida se apagava, os parentes e entes queridos do senador democrata puderam se despedir dele e agradecer, um privilégio que não tiveram os dois irmãos do congressista assassinados, John F. Kennedy e Robert Kennedy.
“Para sua família, foi um guarda, para os Estados Unidos, um defensor de seus sonhos”, disse. Obama reconheceu o enorme legado político deixado por Ted Kennedy, cujo nome – disse – “é sinônimo do Partido Democrata”, e explicou que, apesar de defender com intensidade seus ideais de justiça e igualdade, conseguiu colocar pontes no Senado acima das diferenças ideológicas e de partidos.
O trabalho de Kennedy, disse o presidente, alcançou “milhões de vidas, aposentados que agora vivem com mais dignidade, famílias que agora têm novas oportunidades, crianças que agora conhecem as promessas de contar com educação, e todos aqueles que buscam seu sonho em uma América mais justa e igualitária, incluindo eu mesmo”.
Obama, que recebeu o apoio fundamental de Ted Kennedy durante sua campanha presidencial, disse que o senador era seu “colega, conselheiro e amigo”. O presidente soube da notícia por volta das 2h (3h de Brasília), quando foi acordado por um de seus assistentes, disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs.
Vinte e cinco minutos depois, o presidente ligou para a esposa do senador, Vicki Kennedy, para expressar suas condolências. Durante a noite, a Casa Branca emitiu um comunicado no qual o presidente lamentava a morte de Ted Kennedy, a quem qualificou como um “grande líder”.
“Um importante capítulo de nossa história chegou ao fim. Nosso país perdeu um grande líder, que tomou a tocha de seus irmãos mortos e se transformou no maior senador americano de nossos tempos”, disse Obama.
O presidente agradeceu os “sábios conselhos” dados por Kennedy no Senado, onde, “sem importar a agitação dos eventos, sempre teve tempo para um colega novo”.
“Eu apreciei a confiança e o apoio fundamental que me ofereceu durante minha campanha presidencial. E inclusive enquanto ele lutava valentemente contra uma doença mortal, eu me beneficiei de sua sabedoria e ânimo”, acrescentou.”
(Portal Terra)

terça-feira, 25 de agosto de 2009

OUVINTE E BLOGUEIRA COBRA POSIÇÃO DA LIBERDADE E DA CANUDOS PARA MELHORAR A PROGRAMAÇÃO MUSICAL.

RAZÃO DA GRANDE PENETRAÇÃO DESTE TIPO DE MÚSICA ESTÃO NOS DONOS DE EMISSORAS DE RÁDIOS QUE VEICULAM DIRETO ESTAS BAIXARIAS, COMECE A DAR EXEMPLO DR. DEODATO PORQUE SUAS DUAS RÁDIOS NÃO FAZEM OUTRA COISA A NÃO SER DIVULGAR ESTES TIPO MÚSICA. CONFIO NO SENHOR NÃO ME DECEPCIONE. ANA jÚLIA - 25 de Agosto de 2009 12:52
Deodato Ramalho
Ana Júlia, Concordo com você. Infelizmente, ainda não tive condições de alterar muito esse quadro, embora já tenha discutido o assunto. Mas, com certeza, tentarei implementar essas mudanças, ainda que paulatinamente. Vou colocar esse seu comentário na página principal do blog, como forma de estimular os companheiros tanto da Liberdade quanto da Canudos a ajudarem a desconstruir essa lógica perversa da diminuição da importância social e cultural do melhor do nosso forró. Obrigado pela provocação (veja: provocação no melhor sentido da palavra).

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

CULTURA DA BAIXARIA NO REINO DO GONZAGÃO!

Ariano Vilar Suassuna (João Pessoa, 16 de junho de 1927) é um dramaturgo, romancista e poeta brasileiro. Ariano Suassuna é um dos mais importantes dramaturgos brasileiros, autor dos célebres Auto da Compadecida e A Pedra do Reino, é um defensor militante da cultura do Nordeste.
CRÍTICA DE ARIANO SUASSUNA SOBRE O FORRÓ ATUAL
'Tem rapariga aí? Se tem, levante a mão!'. A maioria, as moças, levanta amão. Diante de uma platéia de milhares de pessoas, quase todas muitojovens, pelo menos um terço de adolescentes, o vocalista da banda que sediz de forró utiliza uma de suas palavras prediletas (dele só não, de todasbandas do gênero). As outras são 'gaia', 'cabaré', e bebida em geral, comênfase na cachaça. Esta cena aconteceu no ano passado, numa das cidades dedestaque do agreste (mas se repete em qualquer uma onde estas bandas seapresentam). Nos anos 70, e provavelmente ainda nos anos 80, o vocalistateria dificuldades em deixar a cidade. Pra uma matéria que escrevi no São João passado baixei algumas músicas bem representativas destas bandas. Não vou nem citar letras, porque este jornal é visto por leitores virtuais de família. Mas me arrisco a dizer alguns títulos, vamos lá: Calcinha no chão (Caviar com Rapadura), Zé Priquito (Duquinha), Fiel à putaria (Felipão Forró Moral), Chefe do puteiro (Aviões do forró), Mulher roleira (Saia Rodada), Mulher roleira a resposta (Forró Real), Chico Rola (Bonde do Forró), Banho de língua (Solteirões do Forró), Vou dá-lhe de cano de ferro (Forró Chacal), Dinheiro na mão, calcinha no chão (Saia Rodada), Sou viciado em putaria (Ferro na Boneca), Abre as pernas e dê uma sentadinha (Gaviões do forró), Tapa na cara, puxão no cabelo (Swing do forró). Esta é uma pequeníssima lista do repertório das bandas. Porém o culpado desta 'desculhambação' não é culpa exatamente das bandas, ou dos empresários que as financiam, já que na grande parte delas, cantores, músicos e bailarinos são meros empregados do cara que investe no grupo. O buraco é mais embaixo. E aí faço um paralelo com o turbo folk, um subgênero musical que surgiu na antiga Iugoslávia, quando o país estava esfacelando-se. Dilacerado por guerras étnicas, em pleno governo do tresloucado Slobodan Milosevic surgiu o turbo folk, mistura de pop, com música regional sérvia e oriental. As estrelas da turbo folk vestiam-se como se vestem as vocalistas das bandas de 'forró', parafraseando Luiz Gonzaga, as blusas terminavam muito cedo, as saias e shortes começavammuito tarde. Numa entrevista ao jornal inglês The Guardian, o diretor do Centro de Estudos alternativos de Belgrado, Milan Nikolic, afirmou, em 2003, que o regime Milosevic incentivou uma música que destruiu o bom-gosto e relevou o primitivismo estético. Pior, o glamour, a facilidade estética, pegou em cheio uma juventude que perdeu a crença nos políticos, nos valores morais de uma sociedade dominada pela máfia, que, por sua vez, dominava o governo. Aqui o que se autodenomina 'forró estilizado' continua de vento em popa. Tomou o lugar do forró autêntico nos principais arraiais juninos do Nordeste. Sem falso moralismo, nem elitismo, um fenômeno lamentável, e merecedor de maior atenção. Quando um vocalista de uma banda de música popular, em plena praça pública, de uma grande cidade, com presença de autoridades competentes (e suas respectivas patroas) pergunta se tem 'rapariga na platéia', alguma coisa está fora de ordem. Quando canta uma canção (canção?!!!) que tem como tema uma transa de uma moça com dois rapazes (ao mesmo tempo), e o refrão é: 'É vou dá-lhe de cano de ferro/e toma cano de ferro!', alguma coisa está muito doente. Sem esquecer que uma juventude cuja cabeça é feita por tal tipo de música é a que vai tomar as rédeas do poder daqui a alguns poucos anos. Ariano Suassuna

Observação:

O secretário de cultura Ariano Suassuna foi bastante criticado, numa aula-espetáculo, no ano passado, por ter malhado uma música da Banda Calypso, que ele achava (deve continuar achando, claro) de mau gosto. Vai daí que mostraram a ele algumas letras das bandas de 'forró', e Ariano exclamou: 'Eita que é pior do que eu pensava'. Do que ele, e muito maisgente jamais imaginou. Realmente, alguma coisa está muito errada com esse nosso país, quando se levanta a mão pra se vangloriar que é rapariga, cachaceiro, que gosta deputeiro, ou quando uma mulher canta 'sou sua cachorrinha'. Aonde vamos parar? Como podemos querer pessoas sérias, competentes? E não pensem que uma coisa não tem a ver com a outra não, porque tem e muito! E como as mulheres querem respeito como havia antigamente? Se hoje elas pedem 'ferro', 'quero logo 3', 'lapada na rachada'? Os homens vão e atendem. Vamos passar essamensagem adiante, as pessoas não podem continuar gritando e vibrando por serem putas e raparigueiros não. Reflitam bem sobre isso, eu sei que gosto é gosto... Mas, pensem direitinho se querem continuar gostando desse tipo de 'forró' ou qualquer outro tipo de ruído, ou se querem ser alguém derespeito na vida!

QUEM REALMENTE PAGOU AS FESTAS JUNINAS? NÓS, O POVO...

Voltando ao assunto relacionado ao financiamento das festas juninas, deste ano, e como prometemos, divulgamos abaixo os dados que comprovam que a festa foi realizada às custas do povo boa-viagense. O valor total do empenho foi de R$ 381.000,00, sendo que com as festas juninas se gastou R$ 120.000,00 (cento e vinte mil reais), conforme abaixo:
"DESPESA: OUTROS SERV. DE TERC. PESSOA JURIDICA
FAVORECIDO: A.M.P. DE SOUSA - ME
CPF/CNPJ: 07469873000197 Foram encontrados 5 pagamentos - Total: R$ 381.000,00
VALOR QUE SE EMPENHA P/ FAZER FACE AS DESPESAS COM CONTRATACAO DE EMPRESA ESPECIALIZADAS EM PROMOCAO DE EVENTOS PARA REALIZACAO DAS FESTAS JUNINAS, NO PERIODO DE 01 A 04 DE JULHO, CONFORME TOMADA DE PRECOS NO 001/2009, JUNTO A SECRETARIA DE CULTURA, DESTE Cód. da Despesa: 33903900
VALOR: R$ 120.000,00".

Bom, diante dessa comprovação, restam três possibilidades:

1. O prefeito mentiu, fazendo média com o dinheiro público, a fim de fazer propaganda de seu candidato a deputado;

2. O prefeito de Parambu também "pagou" as festas;

3. Se o prefeito de Parambu pagou as festas e a Prefeitura Municipal de Boa Viagem também pagou pelo evento, estar-se-á diante de uma fraude, isso por que a documentação da Prefeitura de Boa Viagem demonstra que as festas foram pagas pelo cidadão e cidadã boa-viagense.

Diante de tudo isso, cabe ao senhor prefeito de Boa Viagem esclarecer qual das opções acima representa o que realmente aconteceu. E essa empresa contratada, de quem é e onde fica?


domingo, 23 de agosto de 2009

Revista Época também já "descobriu" que Lina Vieira está mentindo


A ficha já caiu na Revista Época, e admite que o ônus da prova é de quem acusa, e que "muito provavelmente" é Lina quem está mentindo. Já "Descobriu" também as conexões políticas de Lina e seu marido, inclusive que foi ministro interino de FHC. A revista diz que a faladeira Lina e seu marido, não atenderam à reportagem.Segue a íntegra da reportagem:

21/08/2009 19:08
A versão de Lina
A ex-secretária da Receita continua dizendo que esteve com Dilma no Planalto para tratar do caso Sarney. Mas não conseguiu mostrar uma evidência da reunião (Marcelo Rocha)
CONFUSÃO
A ex-secretária Lina Vieira, no depoimento no Senado. Aos oposicionistas, ela citou informalmente que o encontro teria sido em 19 de dezembro. Naquela data, porém, ela estava em Natal, Rio Grande do Norte, como revela o site Portal da Transparência.
Anunciada como personagem capaz de dinamitar a candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), à Presidência da República, a ex-secretária da Receita Federal Lina Maria Vieira deixou o auditório da Comissão de Constituição e Justiça do Senado sem entregar a mercadoria. Em seis horas de depoimento, Lina confirmou o que dissera na semana anterior ao jornal Folha de S.Paulo. Descreveu um encontro no Palácio do Planalto, onde Dilma teria lhe pedido para “agilizar” as investigações do Fisco contra empresas de Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Mas Lina Vieira não apresentou dados novos capazes de comprovar a reunião. Não foi, portanto, capaz de desmentir a versão de Dilma, que, desde o início, nega ter se encontrado com Lina no Planalto. É fato que uma das duas está mentindo. Mas o ônus de apresentar provas cabe a quem acusa.
Lina não levou uma agenda em que pudesse ter registrado o compromisso. Não apresentou testemunha direta da conversa. No início, disse que foi um diálogo normal, no qual nem sequer se sentiu pressionada. “A ministra me disse para agilizar a fiscalização do procedimento contra o filho de Sarney, mas, de forma alguma, o pedido foi para não investigar”, afirmou. No mesmo depoimento, porém, disse que achava o pedido de Dilma “incabível”.
Indicado como possível testemunha de sua ida ao Planalto, o motorista que costumava atender Lina deu uma entrevista dizendo que não sabia de nada. Em conversas informais com senadores, Lina Vieira identificou o dia 19 de dezembro de 2008 como a data provável do encontro. Mas informações oficiais revelam que as duas não poderiam ter se encontrado nessa data. No dia 19 de dezembro, Dilma passou a manhã em reunião do Conselho de Administração da Petrobras. À tarde, Lina estava em Natal, onde mora, a serviço. Naquele dia, Lina chegou a receber uma diária por se ausentar de Brasília, registrada no Portal da Transparência sete dias depois, em 26 de dezembro.
Na quinta-feira, os dois principais cicerones de Lina no Senado não conseguiam esconder certo desapontamento. O senador José Agripino Maia (DEM-RN) afirmou que Lina Vieira “não sabe” quando a conversa ocorreu e que será preciso vasculhar a agenda da Casa Civil “entre 15 de novembro e 15 de dezembro”. Garibaldi Alves (PMDB-RN) disse: “É mais factível que o encontro tenha ocorrido em outubro”. Em outubro, Lina esteve mesmo no Planalto, não há dúvida. Para uma visita oficial, devidamente registrada, segundo disse o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) no Senado.
O marido de Lina é empresário com ligações políticas. Entre 1999 e 2000, foi ministro de FHC
A presença de Lina em Brasília na semana passada chamou a atenção para suas ligações com o mundo político de Natal. Por duas vezes, ela foi secretária de Tributação do Rio Grande do Norte. Primeiro, entre 1995 e 1998, na gestão de Garibaldi Alves. Depois, sob Vilma de Faria (PSB), a atual governadora, entre 2006 e 2007. O marido de Lina Vieira, Alexandre Firmino de Melo Filho, é um empresário ligado ao PMDB. Entre agosto de 1999 e julho de 2000, ele foi ministro interino do Ministério de Integração Nacional, no governo de Fernando Henrique Cardoso.
Firmino é sócio majoritário na agência Dois A Publicidade. A empresa atua em Natal, onde recentemente venceu licitação para prestar serviços à Secretaria de Comunicação da prefeitura administrada por Micarla de Souza (PV), aliada de Agripino e responsável por uma das maiores derrotas do PT nas eleições municipais. A Dois A divide um contrato anual de R$ 10 milhões, firmado no mês passado, com outras quatro agências. Firmino também é sócio da empresa Impressão Gráfica e Editora, recém-contratada pela prefeitura para editar a publicação Natal pra você, dedicada ao turismo. Procurados, nem Lina nem Firmino responderam aos pedidos de entrevista feitos por ÉPOCA.
Se quiser provar mesmo que o encontro não ocorreu, Dilma poderia acionar Lina Vieira na Justiça, exigindo provas ou uma retratação. O inconveniente é que cada depoimento realimentaria o assunto – o tipo de situação que não interessa a uma candidata à Presidência da República.
O Planalto também poderia liberar os registros de seu serviço de segurança. Não são informações perfeitas. De acordo com a graduação do visitante, apenas sua passagem fica registrada, sem que se saiba seu destino final. Mas esse tipo de informação poderia confirmar ou desmentir a suposta presença de Lina no Planalto.
Numa entrevista ao jornal O Globo, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, disse que o Planalto deveria divulgar os dados. “Não há motivo para esconder o registro de ingresso de cidadãos ou servidores públicos em uma repartição,” disse. A Casa Civil afirma que é o Gabinete de Segurança Institucional, responsável pela segurança do presidente da República, que detém a palavra final sobre essa documentação. Por causa disso, na semana passada não se sabia quando – nem se – os registros serão publicados. Enquanto isso, continua a palavra de Lina contra a de Dilma.

BOTANDO A BOCA NO TROMBONE (14) - POR MARIA JÚLIA.




(Colaboração: blogueira Maria Júlia).

ME DESCULPA SR. VEREADOR JOVINO Ñ CONCORDO COM SUA FALA, EM DIZER QUE O PREFEITO SO ESTA COM 8 MESES NO PODER E QUE ACHAS CEDO PARA LEVANTAR QUALQUER SUSPEITA. MAS VEREADOR JA SE PASSARAM 8 MESES, NADA DE AÇAO FOI CONCRETIZADA E VC ACHA POUCO?VCS VEREADORES VAO ESPERAR TERMINAR OS QUATROS ANOS PRA NOTAR O DESMANDO. OU TODOS JA ESTAO PAGOS PRA FICAR CALADOS???? DESMANDO NA SAUDE E NA EDUCAÇAO É POUCO ISSO?ISSO SO ACONTECE MESMO EM BV PORQUE NA CAMARA TEM ALGUMAS CRIATURAS ALIENADAS QUE SÓ ESTAO LÁ POR DINHEIRO...
VAMOS NÓS: Assiste razão à blogueira Maria Júlia. Realmente, é absolutamente fora de propósito um membro do legislativo, que tem obrigação de fiscalizar as ações do executivo desde o primeiro dia do mandato, alegar que 8 (oito) meses é pouco tempo para que, eventualmente, um gestor não possa estar comentendo algum ato de improbidade administrativa. No fundo, esse discurso esconde a cômoda posição de quem, por razões fisiológicas, espera o fim do governo para, oportunisticamente, arvorar-se de defensor da ética. É o velho adágio popular: "rei posto, rei morto".

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

EDITORIAL DO JORNAL O POVO DESTACA AÇÕES DA SEMAM.

Editorial
Direito ao silêncio
Os moradores de Fortaleza devem ter precedência sobre qualquer interesse quando se trata da utilização de som por estabelecimentos de qualquer natureza.
21 Ago 2009 - 01h36min
A iniciativa anunciada pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Controle Urbano (Semam) de estabelecer “tolerância zero” para a poluição sonora, está sendo acompanhada com expectativa pela opinião pública. Transformar Fortaleza em uma cidade civilizada deve ser uma meta imperativa para quem tem compromisso com seus habitantes e para o projeto de fazer dela um atrativo para visitantes. Dentro dessa perspectiva, a ideia de se criar um Polo Gastronômico na Varjota é louvável. A área tem concentrado estabelecimentos dessa natureza, o que permite ao poder público fazer um planejamento adequado que possibilite uma infraestrutura correspondente para dar suporte ao projeto. Turismo não se improvisa, exige planejamento e coordenação entre os órgãos públicos e capacitação de recursos humanos. Tudo isso, porém, deve ser compatibilizado com as demandas da população local, alvo, em última instância, de qualquer projeto que interfira na vida da comunidade. Ou seja: Fortaleza, antes de tudo, existe para seus moradores. Estes aceitam compartilhá-la com visitantes, proporcionando-lhes o usufruto de suas belezas naturais e de seu patrimônio cultural e afetivo, ainda mais quando isso significa trazer dividendos econômicos para a Cidade. Contudo, tudo isso tem de ficar subordinado ao interesse prioritário dos seus habitantes. No caso do Polo Gastronômico da Varjota oferecer bons restaurantes e bares, imprimindo-lhes um selo de qualidade é uma ideia muito bem vinda. O aprimoramento desses serviços deve levar em conta, igualmente, as necessidades da comunidade que habita a área, em termos de ordenamento do trânsito, segurança e controle do barulho. Este último item é essencial porque interfere na privacidade dos moradores, já que se trata de um direito fundamental garantido pela Constituição. Daí deve haver um critério muito rigoroso, em termos normativos, para reger a utilização de som eletrônico por esses estabelecimentos. É preciso levar em conta que, antes da instalação desse tipo de estabelecimento, já existiam na área edifícios residenciais. Não basta, por exemplo, estabelecer um limite formal de decibéis, pois se o espaço é aberto, isso não funciona, sobretudo nas horas altas da noite, quando se precisa dormir. Não há como controlar, por exemplo, o som de uma bateria, para quem dorme no edifício ao lado. E é isso o que acontece em muitos lugares da Varjota. Outras áreas com problemas semelhantes devem existir na Cidade inteira, mas a referência aqui tem em vista a abordagem do projeto do Polo Gastronômico. Não se pode transigir nessa questão: estabelecimentos que utilizam som têm sobre si uma hipoteca social maior do que a dos outros empreendimentos comerciais, e a Prefeitura Municipal deve estar atenta a essa especificidade para a preservação da saúde dos moradores de Fortaleza. Se não houver esse rigor, a iniciativa em breve estará desmoralizada.
www.opovo.com.br/opovo/opiniao/903201.html

OH! NAJA!

(Do blog do Eliomar de Lima).

Eis a atriz Cléo Pires, que arrasa como Surya, uma verdadeira “naja” na novela Caminho das Índias. Pelo visto, deve ter deixado o sári lá pelas bandas do mercado.

DETALHE - Em seu Blog, o jornalista MacárioBatista nos manda um bilhete. O que será?

O OUTRO LADO DA MOEDA SOBRE O SENADOR FLÁVIO ARNS.

Apesar de manter a essência do que eu escrevi, na postagem abaixo, transcrevo o comentário do ex-ministro Zé Dirceu acerca do discurso do senador Flávio Arns. De fato, é incompreensível que o senador não tenha, com a mesma veemência, condenado o PSDB e o seu líder (aliás, pior do que isso: tenha elogiado a postura do réu confesso Arthur Virgílio).São por essas e outras que, APESAR DE ALGUNS EQUÍVOCOS E OUTROS TANTOS DESLIZES, o PT ainda continua merecedor da simpatia da maioria dos brasileiros. O erro do PT, para mim, foi impedir a investigação. Na prática, impediu a investigação contra o Sarney e contra o Arthur Virgílio, o arrogante e réu confesso líder do PSDB.
José Dirceu classifica de “patético” o comportamento de Flávio Arns
Postado em 20 de agosto de 2009 às 18:34 em PolíticaO senador Flávio Arns (PT-PR) diz que em decorrência do voto de seus colegas de bancada pelo arquivamento das representações contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), no Conselho de Ética, envergonha-se de estar no partido e anunciou sua desfiliação.Mas, não se envergonha do arquivamento das denúncias contra o líder da bancada do PSDB, senador Artur Virgilio (AM)! Pelo contrário, em suas declarações elevou o senador tucano a modelo de ética e de homem público!Arns foi filiado ao PSDB, conviveu em seu Estado - o Paraná, e no Brasil com a aliança tucana, com o PMDB e com o PFL. Ele foi eleito senador pelo PT em 2002, depois de se desfiliar do PSDB. E elegeu-se com apoio do presidente Lula - e por causa desse apoio.Arns se elegeu graças ao apoio de LulaEle conhece o PT do Paraná e seus colegas de partido, prefeitos, deputados e senadores. Conviveu com eles nesses últimos oito anos. Sabe da honestidade e correção desses parlamentares, dos prefeitos e dirigentes do PT,Sabe que posição do PT - da sua bancada e do partido - no Conselho de Ética apoia-se no príncipio da presunção da inocência e do devido processo legal. Sabe, à exaustão, que nenhum petista teve participação nas irregularidades e ilegalidades do Senado.Da mesma forma, deve lembrar-se que sempre defendemos as investigações e a punição para os responsáveise por elas e que todos os petistas sempre defenderam e apoiaram desde o inicio da crise as mudanças implantadas na Casa.Daí ser patético que nos condene com tal violência verbal e eleve Artur Virgilio a modelo de homem público.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

DIA TRÁGICO PARA O PT. O PARTIDO PERDE DOIS GRANDES QUADROS.




A atual crise política que se abateu sobre o senado brasileiro a partir das denúncias contra o senador José Sarney, demonstra a urgente necessidade de uma reforma política que possibilite a construção da governabilidade extraída das urnas, vale dizer: a governabilidade construída nos acordos políticos coloca o governo - qualquer governo - refém da velha política, das velhas raposas políticas. Nada obstante não ter, o PSDB e especialmente o seu líder Arthur Virgílio nenhum respaldo moral para atacar o próprio Sarney e muito menos o PT, não há dúvida que o Partido dos Trabalhadores não se tem portado, nessa crise, como dele se esperava, mesmo se considerando a tragédia que tem sido, no Brasil, a constituição de maioria para que os governos possam governar. Questões de princípios não podem ser relativizadas. O fato é que a bancada do PT no senado federal não conseguiu encaminhar suas posições, com relação às denúncias contra o presidente Sarney, seguindo a sua maior fortaleza política, que sempre foi a ética e a defesa intransigente da transparência dos atos dos agentes políticos e gestores públicos. Nem mesmo o fato de a maioria da bancada se ter colocado contra a posição do líder da bancada Aloísio Mercadante, que, com certeza, encurralado pela pressão do PDMB (partido fisiológico que domina o congresso nacional), teve que engolir o arquivamento das denúncias contra o "morubixaba" do maranhão. Lamentável. O Conselho de Ética do Senado arquivou todas as denúncias contra o presidente do Sarney e contra o senador Arthur Virgílio, do PSDB, réu confesso nas patifarias da Câmara Alta.

O PT, hoje, sai empobrecido desse imbroglio. Empobrecido porque se curvou às pressões do PMDB. Mais empobrecido ainda por perder dois grandes senadores, no caso, a senadora Marina Silva (PT/Acre), que já anunciara a saída do PT, por causa de divergências anteriores na condução, pelo governo, das questões ambientais, e o senador Flávio Arns (PT/Paraná), que anunciou a sua saída inconformado com a postura do PT nesse episódio protagonizado pelo presidente do senado.

Resta-nos o consolo de que a saída desses dois grandes quadros possa servir de alerta para que o PT, apesar de suas responsabilidades com a governabilidade, se reencontre com a sua história de combatividade na defesa dos postulados da ética na política. Nem mesmo a certeza que temos que, apesar desses equívocos e vacilos, o Partido dos Trabalhadores ainda representa o que de mais significativo se construiu, partidariamente, no Brasil, pode servir para que os Petistas não façam um mea culpa neste triste episódio, a fim de reconhecer, perante a nação, de que essa posição em nada nos engrandece.

QUEM REALMENTE PAGOU AS FESTAS JUNINAS EM BOA VIAGEM?

Passados já alguns dias das nossas festas juninas, ocasião em que o prefeito trapalhão espalhou faixas dizendo que o seu futuro deputado patrocinou as festividades, é chegado o momento de verificarmos se foi assim mesmo. Fica, portanto, a pergunta: quem foi mesmo que pagou as festas?

terça-feira, 18 de agosto de 2009

IMPRENSA DESTACA FIRME ATUAÇÃO DO SECRETÁRIO DEODATO RAMALHO.

(Da coluna do jornalista Fábio Campos - Jornal O POVO de hoje).
O SECRETÁRIO E O CLUBE SOCIAL
De Deodato Ramalho (Seman): “A nossa equipe de combate à poluição sonora esteve sábado realizando operação na Beira-Mar. O Ideal Clube, que tinha sido notificado anteriormente para regularizar a sua situação e não o fez, foi um dos espaços visitados. A equipe comandada pelo servidor Aurélio Brito realizou o seu trabalho, apesar das enormes pressões, inclusive sofrendo ameaças físicas e agressões verbais, estimuladas, para meu espanto, por freqüentadores do Clube mais elitizado da cidade. É o velho patrimonialismo que se expressa na máxima de que a lei que limita o direito individual só vale para os mais humildes. Por temperamento sou muito aberto ao diálogo, porém não abro mão de manter-me fiel ao que sempre preguei quanto ao papel do Estado, que é a preservação do interesse público. Tenho a exata noção do que isso significa: enquanto estivermos autuando os pequenos bares da periferia da cidade; enquanto a fiscalização estiver alcançando apenas os mais humildes, serei aplaudido e festejado, mas quando a ação da Seman se fizer sentir nos espaços da chamada elite virão, com certeza, as reações. Minha convicção, no entanto, é que isso se dará apenas num primeiro momento porque, depois, esses mesmos segmentos compreenderão que as regras valem para todos. Afinal, a cidade é de todos, com seus bônus e ônus”.

domingo, 16 de agosto de 2009

O TEXTO ABAIXO É DO ADVOGADO VALDECY ALVES, ADVOGADO DA FETAMCE.


PARA AS VÍTIMAS SABEREM COMO SÃO ROUBADAS!
PARA ENTENDEREM PORQUE A EDUCAÇÃO NÃO TEM QUALIDADE NO CEARÁ E NO BRASIL! PARA SABER QUE AS INSTITUIÇÕES QUE DEVERIAM FISCALIZAR AS APLICAÇÕES DO FUNDEB ESTÃO PERDENDO PARA O CRIME (TCM, MINISTÉRIO PÚBLICO...) - ENQUANTO ELES VIVEM NO PARAÍSO NO PRESENTE COM O DINHEIRO DESVIADO DO FUNDEB - OS PROFESSORES PASSAM FOME DESDE O PASSADO - OS ALUNOS CONDENADOS A NÃO TEREM FUTURO POR CONTA DA EDUCAÇÃO DE PÉSSIMA QUALIDADE!
EIS OS VERGONHOSOS 10 MANDAMENTOS:
Mandamentos Escritos e constatados a partir de relatos e experiências reais acompanhadas e vividas na advocacia junto a vários sindicatos de servidores municipais no Estado do Ceará. Que não deixa de ser uma amostra do Brasil.. Não aconselho a nenhum prefeito ou prefeita que os adote. Mas os que defendem a educação devem ficar de olho e denunciar os piratas do FUNDEB, travestidos de governantes, que são inimigos dos educadores e da educação. OS SINDICATOS PRECISAM ATUAR COM MUITA VEEMÊNCIA NO COMBATE A TAL PRAGA. Eis os 10 malditos mandamentos seguidos pelos ladrões do FUNDEB:
1º- Enviar projeto de lei para Câmara Municipal, vez que o Poder Legislativo, na maioria dos municípios, não passa de anexo das prefeituras, criando Conselho Municipal do FUNDEB, que garanta maioria dos representantes da prefeitura no Conselho, eleição do presidente do Conselho de confiança da prefeitura, aprovação do regimento do Conselho dando todos poderes ao seu presidente, INVIABILIZANDO A FISCALIZAÇÃO E A PARTICIPAÇAO DA SOCIEDADE QUANTO AO CONTROLE SOCIAL DA APLICAÇÃO DS VERBAS DO FUNDEB;
2º- Pagar os 60% do repasse do FUNDEB em números absolutos como remuneração dos profissionais da educação, mas colocando no quadro da docência inúmeros profissionais da educação contratados, de preferência cabos eleitorais. Formando curral eleitoral com as verbas da educação. Muitos deles sem trabalharem;
3º Pagar os 60% do FUNDEB, percentual mínimo a ser aplicado como remuneração dos educadores, só que creditando na folha de pagamento dos professores que têm jornada de 100 horas remuneração equivalente a 200 horas. Depois o Secretário de Educação ou outro... vai até o professor, reclama que pagou a mais, recebe o dinheiro em mãos e aplica onde quiser;
4º Convocar uma assembléia de profissionais de educação, comunicar-lhes que cada um ganhará um notebook para dar maior eficácia ao seu trabalho, todo mundo fica maravilhado, aprova a novidade. Após cada um receber o notebook, percebe na folha de pagamento seguinte, que o valor da prestação está a mais, como salário no contracheque e descontado, ao mesmo tempo, como prestação de pagamento do computador. O pagamento saindo dos 60% do FUNDEB. EIS UM ESTELIONATO EDUCACIONAL!
5º Ter um contador habilidoso, melhor que o contador de Al Capone. Ele fará duas folhas de pagamento: A REAL que é paga junto ao Banco e a VIRTUAL que é a informada ao TCM, que nada percebe. Assim, por exemplo, um professor que num Município recebe R$ 500,00 de remuneração, para o TCM informam que ele ganha R$ 1.000,00. Além da legitimação da apropriação indébita, a prestação de contas será eficaz e ainda usa a informação do TCM para dizer que não há margem para reajustes, pois atingido o limite prudencial;
6º Os empréstimos feitos pelo professor junto a bancos serem colocados na folha de pagamento do TCM como gratificação. Assim, por exemplo, um professor que ganha R$ 500,00 e paga empréstimo de R$ 100,00, recebendo R$ 400,00 líquidos. Na folha de pagamento enviada para o TCM, ele ganha R$ 500,00 de salário, R$ 100,00 de gratificação, totalizando a remuneração R$ 600,00. Todavia R$ 100,00 é descontado para o empréstimo, mas lá na ponta o servidor só recebe R$ 400,00. Nessa magia R$ 100,00 desaparece no vazio do éter contábil;
7º Tirar da folha de pagamento dos 60% do FUNDEB as lideranças sindicais nos municípios onde os sindicatos são autônomos e atuantes, além de excluí-los do RAT(O)eio dos abonos e ainda, se possível, tirar a regência de classe. Violando-se a liberdade sindical. Pois assim, ninguém mais vai querer ser dirigente sindical. Se for vai pagar do bolso por tal afronta! TODO LADRÃO GOSTA DE ROUBAR EM PAZ. QUANDO ATRAPALHADO COMETE ATÉ LATROCÍNIO;
8º Na folha de pagamento do professor incluir valores altos de pagamento à entidade sindical. Assim, por exemplo, alguém que ganhe R$ 500,00 líquidos, observa no seu contracheque entrar R$ 180,00 de desconto para entidade sindical mesmo sem ser sindicalizado. Os R$ 180,00 constam no contracheque mas não entram na conta do servidor. Como houve um crédito a mais no mesmo valor, não tendo prejuízos no final, no que é depositado na conta, o servidor deixa por isso mesmo. MAS o servidor não sabe que tal fato aconteceu com muitos outros servidores e que assim, atinge-se mais rapidamente os 60% mínimos, que devem ser aplicados na remuneração dos profissionais da educação, sem que os beneficiários tenham os educadores;
9º Pagar mal o ano inteiro aos educadores, pegar emprestado as verbas do FUNDEB sem pagar juros, além de aplicar sobras em fundos rentáveis, não prestar contas de tais rendimentos e ao final do ano ainda dá um de bonzinho: para atingir os 60% do valor repassado do FUNDEB no ano, como mínimo a ser pago aos profissionais, assim manda a Constituição, fazer o RAT(O)EIO, declarando para mídia que está pagando o 14º, o 15º, o 16º, o 17º... 20º salário, etc...;
10º PAGAR PISO! NO PROFESSOR SE PISA OU DAR-LHE UMA PISA. Educação pra quê? Sendo ainda capaz de convencer servidores da educação e sindicatos que não pode dar sequer o reajuste do INPC, congelando o salário dos professores por anos, pagar a todos os professores o salário mínimo, quando paga o mínimo e a folha em dia, tanto faz ser nível médio, graduado ou pós-graduado, alegando não ter dinheiro suficiente. Ao tempo que comparando vários anos os repasses do FUNDEB aumentaram consideravelmente, o que pode ser visto nos sites do MEC e do Banco do Brasil. A despesa, QUE NINGUÉM VÊ, tendo aumentado invisivelmente, engolindo todo o aumento de repasse, mesmo sem reajustes, sem admissão de novos concursados, sem concessão de progressão na carreira para categoria... Ocorrendo fraudes ainda por serem detectadas.
VAMOS NÓS: O advogado Valdecy Alves é advogado de servidores públicos há muitos anos. Com ele já partilhei várias lutas juntos. O colega Valdecy é advogado da FETAMCE - Federação dos Trabalhadores Municipais no Estado do Ceará. Já participou de inúmeras negociações com Prefeituras a respeito de reajustes salariais, planos de cargos etc., e tem feito várias pesquisas sobre os problemas que envolve a utilização de verbas do FUNDEB.

"VOTO NÃO TEM PREÇO, TEM CONSEQUÊNCIA" (FRASE CARRO-CHEFE DE CAMPANHA DA CNBB CONTRA A COMPRA E VENDA DE VOTOS.


O jornal o POVO de hoje traz matéria sobre a produtividade da bancada cearense na Câmara Federal. A produtividade em questão foi medida com base no número de projeto aprovados, o que, é bem verdade, não pode servir, só por isso, como uma prova completa da falta de atuação dos parlamentares. Porém, o desempenho de alguns chama a atenção, como, por exemplo, o desempenho do deputado federal "votado" em Boa Viagem pelo esquema do atual prefeito, no caso o deputado Zé Gerardo. Pois não é que o homem conseguiu a proeza de não fazer sequer um pronunciamento na Câmara Federal! Em 2010, escrevam o que estou estou dizendo, o caminho que se desenha é o mesmo.


"Cearenses têm produtividade zero
Os 22 deputados federais do Ceará em atividade em Brasília não apresentaram nenhuma proposta nesta legislatura que tenha se transformado em lei.

Eles foram eleitos para fiscalizar o Executivo, discutir temas relevantes para o País, ajudar na liberação de recursos para seus estados e... Fazer leis. Nessa última tarefa, entretanto, a bancada do Ceará na Câmara dos Deputados tem deixado a desejar. Levantamento feito pelo O POVO revela que, dos projetos apresentados na atual legislatura pelos 22 deputados federais cearenses atualmente em exercício do mandato, nenhum até agora virou lei. Em outras palavras, nada do que foi proposto por eles nos últimos 30 meses conseguiu deslanchar. E resta apenas um terço da legislatura pela frente para que algo saia do papel. Falhas dos parlamentares na condução dos projetos e vários entraves no meio de campo - que vão da burocracia regimental ao ritmo lento das tramitações - ajudam a explicar a “produção zero” da bancada do Ceará. Entretanto, apesar das mil e uma dificuldades apontadas pelos deputados, experiências positivas do passado mostram que, na tarefa de legislar, é preciso muito mais que boas intenções e ideias interessantes. É preciso suar o paletó e, principalmente, estabelecer a aprovação de novas leis como prioridade do cargo. Pelo menos é o que argumentam políticos que obtiveram sucesso no desafio. “Persistência é o segredo. É você acompanhar o projeto, dialogar com presidentes das comissões, acompanhar a tramitação semanalmente, justificar a importância da proposta”, explicou o deputado federal Manoel Salviano (PSDB), ainda em exercício na Câmara. Em 2007, o tucano conseguiu transformar em lei um projeto apresentado em 2005 - penúltimo ano da legislatura passada -, que amplia para dois anos o prazo de validade do certificado de Boas Práticas de Fabricação no setor de medicamentos - documento expedido em inspeções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Formulado há mais de quatro anos, foi a última iniciativa de um dos atuais 22 deputados federais do Ceará que saiu do papel.

Outra experiência que deu certo partiu de um deputado hoje licenciado do Legislativo: o ministro da Previdência Social, José Pimentel (PT). Também em 2007, ele emplacou a lei do Super Simples, criando um sistema tributário diferenciado para microempresas e empresas de pequeno porte no Brasil. "

"A HISTÓRIA ME ABSOLVERÁ". UM POUCO DA REVOLUÇÃO CUBANA.


Nos 83 anos de Fidel - por Hélio Fernandes, da Tribuna da Imprensa.
Lembranças da ida a Cuba em 1960, com Jânio Quadros, a vinda de Fidel e Che ao Brasil em 1961 e a planejada condecoração. Jânio presidente, preparando a renúncia.
O tempo implacável e invencível. Em 1960, em plena campanha para presidente, Jânio Quadros foi a Cuba. (Num avião fretado, levou 29 jornalistas, este repórter entre eles). Como sempre, José Aparecido comandando tudo.
No avião, apenas dois não-jornalistas. Afonso Arinos, que esperava ser chanceler e foi. Adauto Cardoso, que esperava ser ministro da Justiça, não foi.
Fidel e Che Guevara, no auge da popularidade, andavam na rua com os jornalistas brasileiros, ou conversavam conosco na residência do embaixador do Brasil, Vasco Leitão da Cunha, depois ministro do Exterior, cargo mais tarde surpreendentemente ocupado por diplomatas do segundo time, que quando estavam no Instituto Rio Branco, escutavam: Esse não chegará a embaixador. Um deles, Celso Amorim, mas não apenas ele.
Eu já estivera em Cuba duas vezes, no Poder, um personagem corruptíssimo, com o mesmo nome, mas duas patentes diferentes. Era Fulgêncio Batista, que tomou o Poder como SARGENTO, foi derrubado, voltou mais tarde. E deu a si mesmo a patente de MARECHALÍSSIMO.
A enorme popularidade de Fidel e seus companheiros vinha da expectativa de liberdade, e a derrubada daquele LADRÃO público, que proporcionalmente roubou mais que Berlusconi, embora isso pareça impossível. Batista fugiu imediatamente, no momento exato em que surgia o 1º de janeiro de 1959.
Os tempos iniciais de Fidel e Che foram de glória e reconhecimento mundial. O papa aplaudia os revolucionários, seu relacionamento com os EUA, o mais cordial e democrático possível. (Sem esquecer que começaram fatos estranhos, como o desaparecimento do bravo e destacado Camilo Cienfuegos).
O jornalista Herbert Matthews, principal repórter do New York Times, tinha casa em Havana. (Foi chamado de editor, cargo que jamais ocupou, recusou sempre, queria ser o que foi com enorme destaque: repórter, correndo o mundo). Ficamos lá 9 dias, mandava como habitualmente artigo e coluna para o bravo Diário de Notícias.
Numa dessas matérias, dizia textualmente: Gostei de conversar com Fidel, mas quem me impressionou mesmo foi Che Guevara. Em 1961, Fidel veio ao Brasil com Che Guevara, a convite do já presidente Jânio Quadros, que lhe deu a maior condecoração.
Diziam, e conhecendo Jânio nenhuma surpresa, que o convite e a condecoração faziam parte da renúncia forjada, mas que, contra a vontade dele, aconteceu mesmo.
Não quero contar a História, apenas o meu conhecimento. Em 1962, a lamentável invasão da Baía dos Porcos, a iminência de uma guerra atômica por causa dos mísseis em Cuba, a batalha que se transferiu para a diplomacia, a vitória do embaixador dos EUA na ONU, Adlai Stevenson, antes e surpreendentemente derrotado duas vezes para presidente dos EUA.
Algum tempo depois, o jornalista Jean-Jacques Servan-Schreiber, repórter e diretor do Le Express, um dos muitos sucedâneos da revista Time, o mesmo que acontecera com a revista Life. (As duas pertencentes ao poderoso Henry De Luce, também dono da Fortune e da Sport Ilustrated, ainda hoje a maior revista esportiva dos EUA).
Schreiber escreveu: Estive na Arábia Saudita, encontrei com Che Guevara, presidente do Banco Central de Cuba. Normalmente, perguntei como ele ia, me respondeu de forma estranha. Só que, apesar de repórter viajado, Schreiber não percebeu, pouco depois Che deixava o cargo e a própria Cuba, nunca mais se encontrou com Fidel.
E não muitos anos depois, Che era assassinado, num dos mais extraordinários acontecimentos, depois dos também assassinatos de John Kennedy, Martin Luther King, Robert Kennedy e até de Jimmy Hoffa, que controlava o maior sindicato do mundo, o dos caminhoneiros, era candidato a presidente. Seu corpo jamais apareceu.
O rompimento Cuba-EUA teria que ocorrer. Fidel não tinha formação ou convicão comunista, o irmão Raul, sim. Mas Raul, durante 45 anos chefe das Forças Armadas, jamais apareceu. Estive em Cuba 5 vezes, duas depois de Fidel, nunca falei nem vi Raul. Ninguém via, sua lealdade ao irmão, total.
Mas sem recursos, e com a União Soviética poderosa e sem problemas, o financiamento e o domínio, mesmo de longe, inevitável. E facilitando as coisas para Cuba e a União Soviética, a burríssima política externa dos EUA. Burrice que se acentuou com a Guerra Fria, quando gastaram talvez mais do que agora, como os aventureiros financeiros.
Fidel só deixou o Poder por causa da doença, jamais imaginou ou acreditou que fosse contestado (mas não traído, como dizem) pelo irmão, deliberadamente em silêncio e na voluntária obscuridade.
A ltima vez que estive em Cuba: 1987, seminário sobre Dívida Externa. Extraordinário. Do Brasil, apenas três jornalistas: Newton Carlos, Argemiro Ferreira e este repórter. Presidindo em rodízio: Gabriel Garcia Marquez, Isabel Allende, Perez Esquivel (Pr�mio Nobel da Argentina), Luiz Carlos Prestes e mais uns 40.
Não-jornalistas estavam: Severo Gomes, Frei Beto, Marilena Chau, Cristina Tavares e Luiz Inácio Lula da Silva, que já preparava a candidatura a presidente, para 1989 ou 1990, dependendo do mandato que Sarney (sempre ele, sempre ele) exigia. Não obtendo os 6 anos, a eleição foi mesmo em 1989.

PS1: Lula perderia essa, a de 1994 e a de 1998. No mundo, só outro homem perderia três vezes, embora não seguidas. Foi o pastor William Jennings Bryan, nos EUA. Carregava multidões para as suas pregações religiosas, mas os transformava em eleitores. Perdeu em 1896, 1900 e 1908. Não ganhou nenhuma.
PS2: Ao contrário de Lula, que perdeu três, ganhou duas e pretende igualar o placar. Ou Fidel, que não perdeu desde 1959, exatamente 50 anos.

(Colaborador professor Alfredo Carlos)

QUEM CALA CONSENTE...POR QUÊ OS PROFESSORES/SERVIDORES NÃO REAGEM?

(Colaborador: professor Alfredo Carlos)


Há os que lutam sim, há também os que ficam esperando para onde o vento sopra forte. Vejam vocês que quando queremos fazer uma paralisação em Boa Viagem, é um verdadeiro Deus nos acudam, 90% da classe dos Professores se negam a parar com medo de serem demitidos. Desse jeito não há emancipação de uma classe, não há a liberdade de expressão, não há a manifestação de pensamentos e de idéias. Vejam o caso de Crateús, todos os Professores fizeram greve, foram mais de 50 dias de paralisação, ninguém foi demitido, quase todas as reivindicações foram conseguidas, professores e servidores públicos encostaram o Prefeito na parede, ele teve que ceder, teve que aceitar, teve que recuar, enfim, isto chama-se luta. Assim como Madalena é hoje um Municipio, foi a luta de todos, foi a união, vejam o caso de Cuba, foi libertada há 50 anos, foi a luta do povo, todos unidos com Fidel Castro, Che Guevara, Camilo Cienfuegos entre outros lutadores. Todos os casos de emancipações mundiais foram com muita luta e muita coragem de homens e mulheres do povo.

Nota do Deodato Ramalho: embora concorde com muitos comentários, nos quais os seus autores questionam a absurda e incompreensível passividade de nossos professores (acrescento: de todos os servidores públicos de Boa Viagem), farei o que tiver ao meu alcance para obrigar o prefeito relapso a cumprir o que está na lei, iniciando com uma representação ao Ministério Público para que a prefeitura esclareça como estão sendo gastos os recursos do FUNDEB.


quinta-feira, 13 de agosto de 2009

O QUE DIFERENCIA OS QUE LUTAM DOS QUE SE APROVEITAM.

Ontem à noite, em Fortaleza, a professora Edileusa Magalhães, lançou o livro UM SONHO FELIZ DE CIDADE - História da Emancipação de Madalena. O livro historia todo o processo de emancipação do nosso vizinho município. Em suas páginas, permeadas de emoção, de ternura e tenacidade de um povo, a autora discorre sobre os sonhos de uma juventude militante que, apesar das dificuldades, das pressões e do medo, se fez agente da história e construiu um movimento de consciência política e social que foi capaz de, pela mobilização popular, vencer a opressão, a intimidação e emancipar Madalena. Fiquei tocado no lançamento do livro, sobretudo porque revivi toda aquela luta, da qual participei ativamente, tanto como militante político quanto como advogado. Li a obra, numa assentada só, viajando (hoje) de Fortaleza a Campo Grande (MS). Em muitas passagens da rica narração dos fatos rolou em minha face pingos de lágrimas, especialmente quando a autora relembra as agressões sofridas, as ofensas verbais, a tentativa de desqualificação dos que, fortes no desejo da realização de um sonho, ousavam enfrentar as engrenagens opressivas do poder dos antigos coronéis do Ceará e de seus apaniguados... E, depois, vitoriosa a luta daqueles jovens sonhadores, esses mesmos que se colocavam contra a emancipação de Madalena, para serem agradáveis aos donos do poder de Quixeramobim, tentaram e tentam ainda se mostrar para a história como se tivessem lutado pela conquista.


O livro traz passagens memoráveis daquela aparentemente pequena odisséia. Destaco, entre tantas outras, o tenso, porém expressivo ato público realizado no dia 06 de março de 1985, com a minha participação que a autora assim registra:


"Estava presente Deodato Ramalho (...) Deodato era de Boa Viagem, mas estava trabalhando em Quixeramobim. Ele denunciava. abertamente, a existência de um grupo contra o desmembramento de Madalena naquele Município, inclusive citava nomes, segundo ele, ``não para denegrir imagens, mas para que o futuro conheça os inimigos do povo, que realmente não queriam a emancipação, a ponto de se empenhar para que ela não acontecesse".

Daí o título dessa postagem: essa é a grande diferença entre os que lutam para realizarem seus sonhos, construírem sua reputação com esteio na dignidade, daqueles que, subservientes ou acovardados, quando a luta é passada e vencida, se apropriam dos resultados como se, para alcançá-los, tivessem tido algum mérito. Pobres diabos!

Minha homenagem, portanto, a Madalena e muito especialmente à Edileusa, ao Chiquinho, Dário (em cuja casa éramos acolhidos por ocasião dos atos públicos e articulações), Ana Lúcia, Marcos Simão... Faço minhas as palavras da líder do bairro Henrique Jorge, Angelita Melo, "uma homenagem aos meninos que valorizaram o povo, ensinando idéia de cidadania".

Vida longa ao GCL - Grupo Consciência e Luta.


quarta-feira, 12 de agosto de 2009

PREFEITA LUIZIANNE LINS INAUGURA PRIMEIRO CUCA.


O primeiro CUCA - Centro de Cultura e Arte de Fortaleza (foto) será inaugurado no próximo dia 21 de agosto. O local é o privilegiadíssimo prédio da outrora famoso Clube de Regatas Barra do Ceará, palco das maiores festas da alta sociedade fortalezense até meados da década de sessenta. Sinto particular alegria por fui eu, como Procurador Geral do Município, que encaminhei o processo de desapropriação do imóvel para acolher esse valioso espaço de educação não-institucional para a juventude da capital cearense. Ali a juventude disporá de cinema, teatro, informática, dança, esportes etc. Além de tudo isso, há a enorme simbologia de um espaço que no passado foi ponto de encontro da alta burguesia, na bucólica Barra do Ceará, passar a abrigar um equipamento voltado para a população mais carente da cidade.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

BOTANDO A BOCA NO TROMBONE (12)


A crise do Senado pode ser olhada do ponto de vista positivo e entendermos que os políticos são eleitos por nós o povo. Todo esse lamaçal que está emergindo é consequencia de votos mal dados. Filosoficamente se diz:" O plantio é opcional. Mas a colheita é obrigatória." Por que então querer colocar todos no mesmo saco, ou nivelar todos os políticos? isso é alienação da grossa.Como estamos há apenas um ano da eleição estadual e nacional, que tal escolher candidatos honestos, preparados politicamente e identificados com os problemas da população? A outra opção é reeleger o bando de corruptos que briga para se abrigar nas benesses públicas.
11 de Agosto de 2009 18:14 (Colaboração da blogueira Luiza).


VAMOS NÓS: A blogueira foi certeira em seu comentário. A propósito, lançamos a seguinte indagação: como é que você decide seu voto?

"AGORA É PRÁ VALER" ELOGIA O CHEFE DA EQUIPE DE COMBATE À POLUIÇÃO SONORA.

Vertical S/A. (O POVO, 11.08.09).
Tolerância zero já começou, diz Semam
Jocélio Leal
11 Ago 2009 - 00h59min
O chefe da Fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano (Semam), Francisco Aurélio de Brito, anuncia: o órgão está na rua com uma ação denominada ‘Tolerância Zero’. Segundo ele, algo planejado desde a gestão passada (primeiro mandato da prefeita Luizianne Lins), “mas por falta de autorização e apoio da antiga direção da Semam, só agora pode iniciar”. Ele afirma que a ordem do novo secretário, Deodato Ramalho, é “ação firme e permanente”. Para Brito, o nome disso é Tolerância Zero. Ele lista uma série de medidas tomadas pela pasta desde o mês passado. No rol de medidas, 11 ações de fiscalização. Eis a lista:
1) Dia 7/7 - Foi desligado o sistema de ar-condicionado do North Shopping, que incomoda o condomínio residencial vizinho e só foi autorizado o religamento do mesmo com o comparecimento dos advogados da empresa no departamento jurídico da Semam para assinar ajustamento de conduta, quando foi estipulado o prazo para a solução definitiva do problema e foi feita cobrança de multa.

2) Dia 13/7 - Foi desligado o sistema de refrigeração do Grupo Pão de Açúcar da Avenida Abolição e também só foi autorizado religamento do mesmo após o comparecimento dos advogados da empresa à Semam para também assinar termo de ajustamento de conduta e serem apenados monetariamente.

3) Dia 29/7 - Embargamos o Clube Pai D’Égua, na Godofredo Maciel, por falta de autorização especial de utilização sonora.

4) Dia 30/7 - Embargamos o Clube Oásis, na Santos Dumont, pelo mesmo motivo, evitando a realização de uma festa sertaneja naquele dia.

5) Dia 31/7 - Foi embargada a Galeteria Real, na Godofredo Maciel, próximo ao Detran, também por falta de autorização para utilização de som, evitando um show.

6) Dia 1º/8 - Foi embargada a Casa de Forró, na José Bastos, ao lado da Lagoa de Parangaba, também por falta de autorização para uso de equipamento sonoro, evitando a realização de um show de forró.

7) Dia 2/8 - Foi embargada uma churrascaria na João Pessoa, próxima ao Sesi, também por falta de autorização e por poluição sonora.

8) Dia 6/8 - Foi embargada a Churrascaria Delícias do Sertão por falta de autorização para uso de equipamento sonoro, evitando a realização de um show de humor daquele dia.

9) Dia 7/8 - Retornamos a Galeteria Real para forçar o cumprimento do embargo já que a mesma desobedeceu e iríamos embargar o Kukukaia, mas o responsável se antecipou e compareceu à Semam para propor acordo de regularização.

10) Dia 8/8 - Embargamos a atividade sonora da Churrascaria Esquina do Rodolfo Teófilo e fomos à Beira Mar para embargar a atividade sonora de uma barraca de praia, mas a mesma não ligou os equipamentos sonoros naquele dia.

11) Dia 9/8 - Pelo terceiro domingo seguido tentamos embargar uma casa de show da SER VI, e a mesma encontrava-se fechada, então fomos para o próximo da lista e embargamos a atividade sonora da Churrascaria Bier Haus, na Padre Antonio Tomás por poluição sonora”. Segundo Brito, representantes de todos os estabelecimentos embargados compareceram no dia útil seguinte à Semam para acordo com o departamento jurídico. No acordo, foi dado prazo para solução das pendências documentais e legais e foram apenados com multas. “O único que não compareceu foi a Galeteria Real que ainda tentou realizar eventos, sendo tolhida pela nossa fiscalização”, diz Brito. Ele avisa que esta semana a operação segue. “Todos são bastante denunciados e incomodam a população e até o momento não tinham respeito pela lei e para com os moradores do entorno. A lei agora será cumprida à risca”. Ademais, a Semam está fiscalizando as academias de Fortaleza e as igrejas, que estão sendo autuadas por falta de autorização sonora e eventuais irregularidades. O próximo alvo são os bufês.

O PRESIDENTE RESPONDE.


Luiz Inácio Lula da Silva11 Ago 2009 - 00h59min
> Eduardo Souto Jorge, 57 anos, vendedor autônomo de Bom Jardim (RJ)

– Como entendo que a reforma agrária é a pedra fundamental para a diminuição da pobreza de uma nação, gostaria de saber o que seu governo vem fazendo sobre essa questão?

Presidente Lula - A reforma agrária é indispensável para a redução da desigualdade. Na Presidência, estou realizando o que sempre defendi. Nos 40 anos de existência do Incra, a reforma agrária beneficiou 1 milhão de famílias. Nada menos que 519.111 famílias, ou seja, mais da metade, foram assentadas no meu governo. Destinamos 43 milhões de hectares para assentamentos, entre 2003 e 2008, de um total de 80 milhões utilizados para esse fim em toda a história do nosso País. E também demos um salto na melhoria das condições de vida dos assentados. Construímos ou recuperamos 38 mil km de estradas vicinais, financiamos a reforma ou construção de 266 mil casas, investimos em assistência técnica e em programas educacionais que beneficiam diretamente esses trabalhadores. Os recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, à disposição dos agricultores familiares, incluindo os assentados, passaram de R$ 2,4 bilhões, na safra 2002/2003, para R$ 15 bilhões na safra 2009/2010. O aumento foi de 531%. O Pronaf Mais Alimentos abriu linha de financiamento até a safra de 2010/2011 de R$ 25 bilhões para a compra de tratores e máquinas. 12.900 tratores já foram adquiridos. Hoje, os agricultores familiares respondem por 70% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros.

> Francisco Nogueira da Silva, 35 anos, portuário e sindicalista de Santos (SP)

– Há como o governo reduzir taxas e impostos portuários, a exemplo do que foi feito com a indústria, para evitar demissões de trabalhadores dos portos?

Presidente Lula - Francisco, como sindicalista, você sabe que a maior parte dos portuários é contratada por meio do Órgão Gestor de Mão-de-obra, não possuindo vínculo empregatício com os terminais portuários. A utilização de mão-de-obra no setor depende da movimentação de cargas. Nesse sentido, nós temos feito muito. A partir de 2003, nosso comércio exterior cresceu de US$ 100 bilhões para US$ 370 bilhões. A movimentação de cargas gerais que, em 1999, tinha sido de 436 milhões de toneladas, em 2007, chegou a 755 milhões. Essa movimentação é que dá consistência ao mercado de trabalho. Em relação à redução de taxas e impostos, nós adotamos, desde 2004, o Regime Tributário para Incentivo à Modernização e à Ampliação da Estrutura Portuária, que implica a suspensão da cobrança do IPI, PIS/Pasep, Cofins e, em alguns casos, do imposto de importação, até o final de 2011. Essa desoneração contribui para aumentar a movimentação de cargas e, portanto, o número de empregos.

> Marcos Aurélio Alves Barreto, 27 anos, empresário de Cuiabá (MT)

– A Petrobrás hoje se tornou autossuficiente, em razão disso gostaria de saber por que motivo o preço da gasolina continua a subir? Presidente Lula - Marco Aurélio, não é verdade que o preço da gasolina continue a subir. Ele ficou estável durante quase três anos, de setembro de 2005 até maio de 2008, quando houve a explosão dos preços do petróleo no mercado internacional. Em 2008, o valor do barril subiu 142%, de US$ 60 para US$ 145, enquanto o reajuste do preço da gasolina ficou em apenas 10%. De lá para cá não ocorreram novos aumentos. Pelo contrário, houve até uma redução de 4,5% no preço da gasolina que a Petrobras vende para as distribuidoras. Na verdade, temos garantido segurança e estabilidade nos preços do mercado interno, o que beneficia empresários e consumidores. Nossa política nessa área tem nos protegido das violentas oscilações dos preços do petróleo no mercado internacional, fruto do mesmo tipo de especulação iniciada nos países ricos e que desencadeou uma das mais sérias crises financeiras da história.

>> Você também pode enviar sua pergunta para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo endereço www.opovo.com.br/politica ou pelo e-mail mailto:%20politica@opovo.com.br

domingo, 9 de agosto de 2009

Paizão, pense nisso!

(Professor Alfredo Carlos, colaborado).

Esta é uma campanha publicitária espalhada pela cidade.

"Crie filhos em vez de herdeiros."

"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete."

"Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."

"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."

"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."

"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"

"Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos."

"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas..."(e em seguida a esse Outdoor...tinha um outro dizendo: ...e quem sabe assim você seja promovido a melhor pai do mundo!)

"Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos."

“Somos o que fazemos repetidamente. Por isso o mérito não está na ação e sim no hábito." (Aristóteles)

A ARTE DA POLÍTICA X A POLÍTICA DA ARTE (I).

Da vida pública se faz o bom negócio
Tiago Coutinhoda Redação08 Ago 2009 - 19h16min (Jornal O POVO)
Atire a primeira pedra aquele que nunca desejou, mesmo de brincadeira, ser um político. Os motivos nem sempre são os mesmos. Há quem almeje a atividade pelo senso comum difundido no imaginário popular: todo político tem vida fácil, enriquece rapidamente, principalmente por mecanismos ilícitos. Há aqueles, porém, que sonham em mudar o mundo e transformar a realidade social.
A política deve ser buscada por vocação ou por profissão?
No Brasil, o jogo político é regido por uma regra básica: quanto mais poder se tem, mais se busca acumular. Na lógica de armazenamento do poder, a política institucional, não raro, é comparada a um negócio lucrativo, despertando interesse de vários segmentos. O raciocínio apresentado traz duas consequências perceptíveis. Voto se transforma em capital simbólico de poder e moeda de troca entre aqueles que comandam a administração pública. Sendo o Brasil um país arraigado de oligarquias, muitas vezes os votos acumulados por determinados “coronéis” convertem-se em herança. Passam de pai para filho. Não por acaso, podemos contabilizar inúmeras famílias no comando dos mais diferentes espaços políticos. Tempo todo Sem dúvida, o “mercado” movimenta bilhões a cada ano. Na rotina administrativa, alguns políticos se especializam em, a cada eleição, garantir os votos necessários para uma nova disputa. O cargo exige tantas atribuições, tornando-se basicamente impossível se dedicar a uma segunda profissão. Aqueles que entram na política, quase sempre, passam a viver como devoção às obrigações públicas. Vive-se “da” e “para” a política. Dada a demanda, torna-se quase um ciclo vicioso.
Não custa lembrar frase recente do prefeito de Granja, Esmerino Arruda. Em entrevista ao programa Coletiva, na TV O POVO, ele afirmou que a política “é uma cachaça que só se sai dela morrendo”. O problema é que, muitas vezes, a atividade pública se pauta por interesses pessoais. Perde-se, assim, a noção ideológica da disputa política. Há, para o bem e para o mal, inúmeros profissionais no ramo. São aqueles que, ao longo de sua trajetória, pouco exerceram outra tarefa senão a de articulação e mobilização. De empresários a operários, exemplos não faltam. Um dos símbolos mais significativos ocupa a Presidência da República. Luiz Inácio Lula da Silva (PT), envolvido no movimento sindical desde 1969, tornou-se símbolo do operariado brasileiro e fundador do Partido dos Trabalhadores. Antes de se eleger em 2002, recebeu inúmeras críticas da oposição principalmente por - devido às suas ações políticas - ter passado poucos anos na profissão de torneiro mecânico.
Nas próximas páginas, O POVO analisa e conta histórias daqueles que dedicados exclusivamente à atividade pública.

FELIZ DIA DOS PAIS.


sexta-feira, 7 de agosto de 2009

O CREPÚSCULO DE UMA HISTÓRIA...


FALANDO DIREITO.


Estamos inaugurando, neste blog, a participação FALANDO DIREITO, o que também ocorrerá todas as quintas-feiras nos programas LIBERDADE EM MOVIMENTO e LIBERDADE A VOZ DO POVO. O FALANDO DIREITO terá a participação semanal dos advogados DEODATO RAMALHO, DEODATO RAMALHO NETO e JANDUY TARGINO FACUNDO, do escritório DEODATO RAMALHO - ADVOGADOS ASSOCIADOS, e, eventualmente, de outros profissionais do direito.
Nesta primeira postagem divulgamos interessante decisão da Justiça Mineira acerca do direito à privacidade.
Justiça de Minas absolve homem que fazia exercícios nu em quintal de casa
da Folha Online
Um homem que fazia exercícios físicos nu no quintal de sua casa, em Belo Horizonte (MG), foi absolvido da acusação de prática de ato obsceno em lugar exposto ao público pela Justiça de Minas. Segundo o TJ (Tribunal de Justiça), que divulgou a decisão nesta sexta-feira, a juíza Luziene Barbosa Lima, da 6ª Vara Criminal da cidade, decidiu pela absolvição do acusado pois ele estava dentro dos limites de sua propriedade.
Segundo a acusação, o homem praticava exercícios físicos sem roupas no quintal de casa, ficando exposto aos olhares de crianças e funcionários de uma escola infantil vizinha do imóvel.
A defesa, no entanto, argumentou que ele foi vítima de violação de privacidade, pois o quintal era cercado por um muro e ele só podia ser visto porque a escola construiu uma cobertura acima do limite que divide as propriedades.
A juíza verificou que a cobertura --que dava acesso visual ao quintal-- foi construída após a instalação e funcionamento da escola.
"Ora, em se tratando de ambiente destinado à educação de crianças, o estudo preliminar do local, destinado a assegurar o conforto, segurança e privacidade destas, é de suma importância e cabe exclusivamente aos sócios e representantes", afirmou.
Em sua decisão, a juíza argumentou ainda que o homem estava dentro de sua propriedade e que não tinha intenção de ser observado pelos vizinhos. "O quintal de uma residência não pode ser considerado lugar aberto ou exposto ao público", disse. Cabe recurso da decisão.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

QUANDO AS COMADRES SE ESTREMECEM...

A VERDADE APARECE!!!
Tasso troca acusações com Renan Calheiros em plenário
Jereissati rebateu críticas de Renan mandando que o senador não apontasse "os dedos sujos" para ele. O senador alagoano retrucou: "Dedos sujos são os seus que anda com jatinho pago com dinheiro público"
06 Ago 2009 - 18h27min
A leitura da representação apresentada pelo PMDB contra o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), acabou há pouco em mais um bate-boca no plenário do Senado. Dessa vez, os personagens troca de farpas foram os senadores Tasso Jereissati (PSDB-CE) e o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), que na segunda-feira já havia discutido com o senador Pedro Simon (PMDB-RS). Ao ler hoje a representação do PMDB contra Virgílio, protocolado no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar na noite de ontem, 5, Renan se referiu à minoria do Senado como “a única do mundo com complexo de maioria”.
Quando Renan desceu da tribuna, Jereissati pediu que fosse dado a Virgílio o mesmo tempo que foi permitido ao peemedebista para que o tucano fizesse sua defesa. Nesse momento, Renan voltou a criticar a minoria no Senado. Jereissati rebateu, mandando que Renan não apontasse “os dedos sujos” para ele. O senador alagoano retrucou: “Dedos sujos são os seus que anda com jatinho pago com dinheiro público”.O jatinho é meu, tenho dinheiro para pagar”, rebateu Jereissati, acrescentando: “Não ando de jatinho pago por empreiteiros, seu cangaceiro de terceira categoria”. Nesse momento, Renan teria proferido um palavrão contra Jereissati. O tucano pediu ao presidente Sarney que abrisse representação contra o líder peemedebista por quebra de decoro parlamentar. Sarney fez soar a campainha e, em seguida, suspendeu a sessão por dois minutos.

BOA VIAGEM E BOA-VIAGENSES. DEODATO JOSÉ RAMALHO.

(Deodato José Ramalho - 1931/1978)
Há trinta e um anos (31) faleceu em Fortaleza o boa-viagense Deodato José Ramalho, meu pai. O falecimento ocorreu no dia 05 de agosto, tendo o sepultamento ocorrido dia 06 de agosto de 1978, sem ter tido tempo de me ver advogado, grande sonho e alegria dele. Nascido em 05 de fevereiro de 1931, desde cedo mostrou-se um jovem sensível às dores dos mais humildes, o que o levou a dedicar quase toda a sua vida à militância social e política. Pessoa boníssima formou em sua volta uma legião de amigos. Pessoa simples e despojada, era capaz de, como se dizia na época, "tirar a roupa do corpo" para socorrer o mais necessitado. Toda a minha infância e parte da adolescência vivenciei, juntamente com minha querida e guerreira mãe, Maria Zélia Cavalcante Ramalho, e meus sete irmãos, o grande afluxo de pessoas do povo na nossa residência. Mais do que um pai ele foi para mim um exemplo de cidadão e de pessoa do bem, o que influenciou enormemente o que eu penso da vida. Passados trinta e um anos (se vivo fosse estaria hoje com 78 anos de idade) sinto a presença dele na minha vida a cada instante e elevo, diariamente, a minha oração e o meu agradecimento a Deus por tê-lo tido como pai. O seu amor por Boa Viagem e por nossa gente era imensurável. O amarei sempre.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

NÃO MATARÃO O NOSSO RIO (II) - POR EDSON FILHO.


Deodatinho e demais companheiros do blog.

A chuva deste ano foi a resposta mais bem dada a todas as gestões do município, especialmente aquelas que, de 88 pra cá, nunca olharam para os problemas do Rio Boa Viagem. Vcs acreditam que na Lei Orgânica do Município (que é de 1989) consta como órgão integrante do Poder Executivo Municipal um Conselho de Meio Ambiente? Quando esse Conselho se reuniu? Fica a resposta dessas perguntas que fiz para os azuis, verdes, amarelos e vermelhos e todas as cores da política local. A resposta da Natureza com as chuvas de 2009 foi dura. Uma pena para a população, que teve de se retirar de casa pra não morrer afogada. Mas a resposta da Naturza foi (e será) aquela. Não há outra, pelo menos até agora! Já imaginou um posto de gasolina debaixo d'água? O tanto de óleo que não vai escorrer para as outras vertentes do Rio? Creio que o atual prefeito e seu secretariado não irão permitir algo tão absurdo. Não conheço detalhes do projeto. Mas, só de saber que no leito do Rio terá mais uma daquelas construções.. Certamente, o que estiver dentro de minhas possibilidades para proteger o Rio e a população de Boa Viagem farei! Afinal, como diz Guilherme Arantes em uma de suas músicas (Planeta Água): "Gotas de água da chuva Alegre arco-íris Sobre a plantaçãoGotas de água da chuva Tão tristes, são lágrimas Na inundação...".

VAMOS NÓS: Como já havíamos mencionado o Edinho é moço qualificado e do bem. Recebemos com alegria a sua participação, como colaborador, neste blog.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

BRASIL TEM GOVERNO...

(Navio retorna à Inglaterra com o lixo ilegalmente trazido para o Brasil)


Esse episódio do lixo vindo da Inglaterra, embora aparentemente simples, tem um desfecho que, com certeza, outrora (esse "outrora" não é muito distante não) não ocorreria. Go home!

SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE DE FORTALEZA INTENSIFICA COMBATE À POLUIÇÃO SONORA.

Semam combate a poluição sonora
Clubes e churrascarias foram alvos, neste final de semana, de ações de combate a poluição sonora em Fortaleza. Realizada pela Comissão de Combate a Poluição Sonora, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Prefeitura de Fortaleza a ação teve como objetivo verificar a documentação exigida para o funcionamento de locais com a utilização de equipamentos sonoros. A churrascaria Pai D' Égua, na Lagoa da Maraponga, foi uma das visitadas e teve a festa encerrada por não ter autorização especial de utilização de equipamentos sonoros. Na avenida Santos Dumont o Clube Oásis também foi interditado pelo mesmo motivo. A direção do Clube porém, já esteve na sede da Semam, onde firmou um acordo para regularizar a situação e voltou a funcionar com algumas restrições.
Outra churrascaria interditada foi a Churrascaria Real, na Maraponga. Ela estava sem autorização para equipamentos sonoros e sem alvará de funcionamento. A Casa do Forró, na Avenida José Bastos, e uma outra churrascaria na Avenida João Pessoa, nº 7015, também foram interditadas. Elas, além de não apresentarem alvará de funcionamento e autorização para utilização de equipamento sonoro também não tinham licença ambiental.
A Comissão de Combate a Poluição Sonora da SEMAM vem atuando de forma intensa na fiscalização de clubes, churrascarias, academias e Igrejas. Esses são os locais com maior número de denúncias junto a secretaria. Segundo Aurélio Brito, coordenador da equipe de combate a poluição sonora, o objetivo é coibir cada vez mais o uso inadequado de equipamentos sonoros. “A tolerância é zero para quem não procura se adequar as normas”, finaliza.