domingo, 21 de abril de 2013

E AÍ, QUEM SE AVENTURA A ANALISAR SE, NESSE SENTIDO, MUDOU ALGUMA COISA DE 1990 PARA CÁ?


Relembrei esse fato quando, num pronunciamento que fiz na Câmara Municipal de Fortaleza sobre a necessidade da reforma política, resgatei essa carta que recebi em 05.07.1990, quando me preparava para ser candidato a deputado estadual. Omiti o nome do autor da carta e do município. Acrescentei, na época, a observação feita à mão no final da correspondência que tenho nos meus arquivos pessoais que agora estou digitalizando. Aliás, tenho muita coisa interessante arquivada. 



quinta-feira, 11 de abril de 2013

BOA VIAGEM X BOA VIAGEM. O BOM DEBATE NA CÂMARA MUNICIPAL DE FORTALEZA!


Vereadores analisam os 100 primeiros dias
Jornal O ESTADO - 10.04.2014
Deodato Ramalho (Líder do PT) e Evaldo Lima (Líder do prefeito)


Hoje, o prefeito Roberto Cláudio (PSB) completa 100 dias à frente da Prefeitura de Fortaleza, a quinta maior capital do País.  Sobre este período, o jornal O Estado escutou a opinião de vereadores da situação e da oposição da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFort).
Para o presidente da Casa, vereador Walter Cavalcante (PMDB), apesar de que 100 dias ainda não sejam ideal para analisar o andamento de uma gestão, afirmou que o prefeito “está arrumando a Casa de acordo como ele ajuíza”.
Segundo o presidente, o prefeito já está cumprindo com os compromissos feitos em campanha, como a seleção pública para  diretores de hospitais, postos de Saúde e diretores de escola,  com o objetivo de “tirar a influência política da administração pública”, ressalta. “Roberto Cláudio acabou com o pedágio da ponte do Rio Ceará, está procurando dar seguimento às obras paradas, está limpando a Cidade e tampando os buracos, prazo este, que em campanha deu 120 dias para que fosse realizado. Portanto, estamos vendo as coisas andarem”, ressalvou.
O presidente destacou ainda o relacionamento do prefeito, com os parlamentares. Segundo ele, “todas as quintas-feiras, ele chega a receber cerca de seis vereadores,” e ponderou ser um relacionamento “importante”, haja vista que,  o gestor ao escutar o vereador, “está tomando conhecimento sobre a sociedade”.
Avanços
Para o líder do Executivo na Câmara, Evaldo Lima (PCdoB), muito de concreto foi feito ao longo desses 100 dias, que antes não era realidade.  Segundo ele, já é notório os avanços  na Educação, Mobilidade Urbana e Segurança Pública. “Na Educação, temos a regularização do calendário letivo; a inédita conquista do material pedagógico para crianças da pré-escola; a inauguração do primeiro dos 80 Centros de Educação Infantil; aquisição de 20 novos ônibus, 3.148 projetores com lousas digitais, 58 mil conjuntos de carteiras e 3,6 mil conjuntos de mobiliário para professores. São mais de 20 milhões em recursos para infraestruturas”, informou.
O parlamentar relatou ainda que, na área de Segurança Pública, houve a criação da Secretaria Municipal de Segurança Cidadã e o anúncio por parte do prefeito para a realização do concurso público para mil novos guardas municipais. O líder destacou, também, a retomada das obras de mobilidade urbana e a implantação do bilhete único  que deverá ser implantado até junho. “São 100 dias de muito compromisso, dedicação, trabalho e honra aos compromissos assumidos em campanha”, defendeu.
Lado negativo
O vereador da oposição, o petista Deodato Ramalho, afirmou que apesar de nos primeiros 100 dias, nenhum governo vai implementar  todas as promessas de campanha, já é um período  que já sinaliza como está sendo o governo e qual direção está seguindo. Entretanto, segundo ele, o período de 100 dias de gestão de Roberto Cláudio, aponta o vetor para o lado negativo. “Sem dúvida, as primeiras ações sinalizam de modo negativo. Tanto do ponto de vista da inércia do governo de colocar a máquina para funcionar, além de usar o expediente para tentar em algumas áreas, destruir o que vinha sido construído na gestão passada”.
Segundo ele, atualmente,  a Saúde, está um “desastre”, pelo motivo de a atual gestão ter fechado os postos de Saúde no período noturno. “Claro que se tinha dificuldades em relação ao atendimento à Saúde em Fortaleza, mas ele deveria ter melhorado aquilo que estava de ruim,  mas demitiu em massa os servidores”, criticou.
Para Deodato, a Prefeitura de Fortaleza está parecendo em todos os aspectos com uma Secretaria do Governo do Estado. Segundo ele, na questão ambiental, “não foi por acaso que mudou o nome de Secretaria Municipal do Controle Urbano, para Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente, isso não é uma coisa cosmética, isso expressa uma ideologia, de que o Meio Ambiente passa a ser secundário na questão do debate em Fortaleza. Espero que o ente federativo Município de Fortaleza não passe a ser um mero apêndice do Governo Estadual”, reverberou.
RELATÓRIO
Já a vereadora Toinha Rocha (PSOL) que, também, compõe a bancada da oposição, disse que um ponto negativo de Roberto Cláudio, é o fato dele não ter entregue à Câmara Municipal, o  relatório feito pela equipe de transição, para que, só assim, poder-se-ia identificar como a ex-prefeita  Luizianne Lins (PT) entregou a cidade, e como Roberto Cláudio a recebeu.
“O relatório de transição seria importante para saber se nestes 100 dias, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, poderia ter feito mais ou menos. Além de servir para  que tomássemos ciência da situação da máquina e realizar uma avaliação sem paixões”, expressou. Apesar da crítica, Toinha Rocha, afiançou que Roberto Cláudio tem sido um prefeito presente, em virtude de que tem visitado postos de Saúde, escolas e creches, além de manter um bom diálogo com os parlamentares, tanto da situação, como da oposição, fato que, segundo ela, não se via na antiga gestão.
“O vejo recebendo tanto os vereadores da situação, como da oposição de forma republicana, recebendo as demandas, as críticas, o que não se via na antiga gestão. Durante toda a semana ele está presente no Paço Municipal, despachando, o que, também, não víamos na antiga gestão”, ressaltou, dizendo que, “ele recebeu durante esses primeiros 100 dias  o Sindiut  e o Sindfort do que toda a gestão de Luizianne Lins”. (Rochana Lyvian, da Redação)

VAMOS NÓS: Para a vereadora do PSOL a gestão do prefeito Roberto Carlos não tem ponto negativo. Só acerto.