quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

ABSURDO: BISPO DE QUIXADÁ É AMEAÇADO DE MORTE.


Bispo de Quixadá denuncia ameaças de morte e pede proteção policial
O bispo de Quixadá, dom Ângelo Pignoli, denuncia ameaças de morte que estaria recebendo. O bispo vem sendo alvo de críticas na cidade, que partem de grupo que defende o bispo emérito Adélio Tomasin
Thiago MendesEspecial para O POVOthiagomendes@opovo.com.br 03 Dez 2009 - 01h46min

O bispo de Quixadá, dom Ângelo Pignoli, denunciou ontem, em Fortaleza, ameaças de morte que estaria recebendo. O caso foi comunicado ao coronel Joel Brasil, secretário-executivo da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, e a Clarissa Rihl Jokowski, da Secretaria Especial de Direitos Humanos, da Presidência da República. Dom Ângelo diz ter recebido quatro telefonemas, dois em sua residência e dois em seu celular. As ligações conteriam críticas ao bispo, terminando com o aviso de que sua morte estaria próxima.

No dia 24 de novembro, uma carta anônima em tom de ameaça foi enviada ao bispo. Na carta, apresentada ontem à Secretaria de Segurança Pública, o remetente se dirige ao bispo como ``dom Anginho`` (sic) e diz que o religioso irá para o céu ``nas asas de um urubu``. O texto de quatro frases, escrito com vários erros de ortografia, finaliza com o lembrete de que o assassino não tem nada a perder. O padre Edilberto Reis, da diocese de Quixadá, atribui as ameaças a alguém do movimento ``fora Dom Ângelo``, que, segundo ele, ganhou corpo a partir do grupo de apoio à permanência do bispo emérito dom Adélio Tomasin na cidade.

O pedido de auditoria nas contas da Faculdade Católica Rainha do Sertão feito por dom Ângelo teria motivado em dom Adélio o desejo de sair de Quixadá. Dom Adélio administrou a Faculdade enquanto foi bispo da diocese, entre 1994 e 2007. Reis defende que a auditoria foi solicitada por uma questão administrativa e que o bispo não vai recuar ``nenhum centímetro`` diante das ameaças. ``Pode ser blefe, pode ter partido de um desvairado, mas não se deve ignorar``, argumenta o padre.

Dom Ângelo disse ao O POVO que se preocupa mais com a segurança dos amigos próximos do que com a sua. Referindo-se à mensagem que divulgou na imprensa no último dia 26 em que rebatia as críticas feitas por apoiadores de dom Adélio, o bispo conta que se manteve até então em silêncio por recomendação da Nunciatura Apostólica, representação diplomática do Vaticano no Brasil. ``Não tenho envolvimento político com nenhum grupo. Mas os ataques morais contra mim vão precisar ser provados``, defende-se.

Defesa

Um dos líderes do movimento de apoio a dom Adélio, Gilmar Barros, diz que as ameaças são injustificáveis e não podem ter partido de defensores do bispo emérito. ``Somos um grupo católico. Nosso movimento é de solidariedade, que significa amor, caridade e esperança. Não tem qualquer relação com atos de violência``, justifica.

Após reunião com o coronel Joel Brasil, foi recomendado que dom Ângelo registrasse boletim de ocorrência do caso para que as investigações sejam iniciadas. A representante da Secretaria Especial de Direitos Humanos fará relatório sobre as denúncias e, caso seja julgado necessário, poderá ser enviada uma comissão da Secretaria a Quixadá como medida de proteção.

AS FRASES

Não devo nada a ninguém`` Dom Ângelo Pignoli. Bispo de Quixadá Todo ato de violência, seja agressão, seja ameaça, é injustificável`` Gilmar Barros. Um dos líderes do movimento de apoio e solidariedade a dom Adélio Tomasin, que foi bispo de Quixadá entre 1994 e 2007 e hoje, como bispo emérito, continua morando na cidade.

ENTENDA O CASO

> Dom Adélio Tomasin foi bispo da diocese de Quixadá entre 1994 e 2007, quando entregou o cargo a dom Ângelo Pignoli, por já ter ultrapassado a idade máxima para ser bispo.

> Dom Adélio recebeu o título de bispo emérito, preferindo permanecer em Quixadá.

> Dom Ângelo decidiu realizar uma auditoria independente na Faculdade Católica Rainha do Sertão, ``a fim de obter uma visão completa, atualizada e autorizada`` da instituição, segundo o bispo.

> O pedido de auditoria foi qualificado de ``suspeição`` da obra de dom Adélio, segundo defensores do bispo emérito. Foi organizado um abaixo assinado com 20 mil assinaturas de apoio a dom Adélio.

> Manifestações contra a direção de dom Ângelo à frente da diocese chegaram aos meios de comunicação de Quixadá.

> Dom Ângelo denuncia ameças de morte que estaria recebendo por telefonema. O bispo também apresenta uma carta recebida no dia 24 de novembro, com ameaças.

> Após a insistência de pessoas mais próximas, dom Ângelo decidiu comunicar ontem o caso às autoridades de Segurança Pública, solicitando proteção.


VAMOS NÓS: Lamentável essa disputa entre o bispo emérito Dom Adélio e o atual bispo de Quixadá, dom Ângelo Pignholi, ambos, aliás, de origem italiano. Apesar de todo o respeito que nos merece dom Adélio pelo grande trabalho que fez e faz na Diocese, não nos parece correto querer por em cheque o comando do novo bispo, que, aliás, nem conheço. A igreja católica é milenar e a sua administração, nas dioceses, sempre coube aos bispos. Assim, esperamos que prevaleça o bom sendo e a paz volte a reinar na diocese de Quixadá, com o reconhecimento da autoridade do bispo dom Ângelo Pignholi.

7 comentários:

Anônimo disse...

ISSO SÓ PODE SER COISA DO CANDIDATO DO BISPO. É NISSO QUE DÁ MISTURAR POLÍTICA, CORRUPÇÃO E RELIGIÃO. NÃO VAI MUITO E BOA VIAGEM VAI CHEGAR A ESSE PONTO. QUEM NÃO SE LEMBRA DA ÚLTIMA CAMPANHA, A IGREJA CATÓLICA VESTINDO A CAMISA AMARELINHA. TEM MAIS OS NEGÓCIOS COM A ATUAL GESTÃO, É SÓ CONSULTAR O SITE DO TCM.

Anônimo disse...

EM BOA VIAGEM A IGREJA CATÓLICA USA E ABUSA DA POLITICAGEM LOCAL; COME NO MESMO PRATO DA CORRUPÇÃO DESDE A COMPRA DE VOTOS ATÉ AGORA DO DESCALABRO ADMINISTRATIVO FARINHA DO MESMO SACO

Cidadão do São Pedro disse...

É essa a democracia dos tucanos. É sabido de todos que Dom Adélio apoiou o candidato tucano nas eleições municipais de Quixadá. Em 2004 antevendo a derrota anunciada o coroné Tasso organizou uma caravana de desagravo a Dom Adélio que na época posava de vítima de perseguição por parte do PT de Quixadá. Inclusive, irresponsavelmente exploraram o episódio em Boa Viagem para respingar na candidatura do Dr. Márcio Ary, fato esse que levou ao fechamento daquela Rádio Liberdade na véspera da Eleição. Vejam que é só aparecer alguém querendo ser transparente e honesto com o povo e com a gestão dos recursos do povo, logo começam a ameaçar e a posarem de vítimas. Parabéns Dom Ângelo pela atitude, coragem e respeito com o dinheiro do povo. Conte com todo o apoio das pessoas de bem da nossa querida Boa Viagem.

Stefano disse...

pq o bispo pede ajuda à policia?? pq não pede ajuda a Deus?? Não con Nele??? Xiii !!! Esse bispo não confia em Deus... pelo visto

Anônimo disse...

Dizem que na época que o Ex.Prefeito Major faleceu ( todos sabem o que fez ele cometer suicidio) o vice que assumiu ia ser cassado, então o mesmo juntamente com um Pe. daqui foram atras de Dom Adélio, o mesmo como tem uma grande amizade com o então Governador na época TUCANO, arrumaram um jeito e o mesmo permaneceu no poder, pois pelo o acontecido era para ter vindo um interventor. Fato ou boato existe este comentário.

Deodato Ramalho disse...

Reitero o que já dissera anteriormente sobre mais esse blefe, no caso, essa história de troncoso relacionado à uma pretensa intervenção em Boa Viagem na época do falecimento do major Carneiro.
Esse tipo de conversa, muitas vezes, é alimentada por políticos desleais, desonestos, com o intuito de criar um clima junto à população de que tem força, que ninguém pode com ele etc.
No que pertine a situações de prefeitos corruptos o Tasso Jereissati nunca moveu uma palha para acabar essa situação, isso por que, na grande maioria dos casos, todos eram seus aliados. O único caso que houve intervenção foi o de Massapê, porém, na eleição seguinte estava o dr. Tasso todo fagueiro no palanque do ex-prefeito afastado.
Assim, essa história realmente é de troncoso, para não dizer, uma grande bobagem.
Não se deixem contaminar por esse tipo de bobagem ou de tentativa de demonstração de falsa força política de alguns políticos atrasados.

Anônimo disse...

Anonimo disse,
Esse Dom ângelo Pignoli é uma raridade dentro da igreja, e o conheço, é um Santo vivo!!!, seu nome é irrefutável, uma raridade, inquestionável. Se ninguém deve, político ou religioso, porque temer a auditoria nas contas. Quem atentar sobre o religiose certamente, seja pistoleiro ou religioso, "vai areder no fogo do inferno para sempre aonde haverá choro e ranger de dentes" Em verdade vos digo!!! Não mistuem política com religião!!! Quixadá tem um Santo!!! Ninguém percebeu? Aproveitem da santidade do homem e o protejam, meu povo!!!