domingo, 30 de maio de 2010

O DILEMA DA OPOSIÇÃO FRAGILIZADA E SEM DISCURSO.


Marcos Coimbra - Correio Braziliense - 30/05/2010

Foi nas oposições que os efeitos da manutenção da popularidade do governo em patamares tão altos foram mais profundos. Como ser contra um presidente que três, em cada quatro pessoas, consideram ótimo ou bom? Como fazer oposição a alguém aprovado por 85% dos eleitores? O tamanho da aprovação popular do governo Lula é impressionante, pelo que conhecemos em nossa curta história como democracia moderna. Pode ser que em outros países — como alguns de nossos vizinhos — números iguais aos seus não causem tanta impressão. Aqui, no entanto, deixam todos boquiabertos. Eles não chamam atenção apenas pela magnitude, mas, também, pela permanência em níveis elevados.
A rigor, não param de crescer desde quando Lula enfrentou seu inferno no segundo semestre de 2005, nas profundezas do mensalão. Subiram durante o processo eleitoral de 2006, o que foi considerado natural, pois decorria da superexposição trazida pela campanha, mas não cederam em 2007, mesmo sem a mídia excepcional. Do começo de 2008 em diante, o que era bom melhorou, e a popularidade do governo entrou em rota ascendente. Nela, prossegue atualmente. Ao contrário de seus antecessores, que terminaram pior (ou muito pior) do que quando começaram, parece que Lula vai continuar subindo até sua despedida em dezembro. Esses altos níveis de aprovação tornaram-se o mais importante elemento do jogo político brasileiro e produziram efeitos em todos os lados. Dentro da coalizão governista, acentuaram a característica centrípeta de nosso sistema político, aumentando a concentração do poder no seu núcleo.

A candidatura de Dilma é a manifestação mais visível desse fenômeno. Nas relações internacionais, funcionaram como um endosso da liderança pessoal do presidente, fazendo com que fosse percebido, mundo afora, como uma unanimidade nacional. Seus interlocutores externos passaram a se relacionar com ele a partir dessa premissa. Mas foi nas oposições que os efeitos da manutenção da popularidade do governo em patamares tão altos foram mais profundos. Ela desnorteou os adversários, deixando-os sem discurso e sem capacidade de reação. Como ser contra um presidente que três, em cada quatro pessoas, consideram ótimo ou bom? Como fazer oposição a alguém aprovado por 85% dos eleitores? Com exceção de algumas lideranças (mais corajosas ou mais inconsequentes, conforme o ponto de vista), as bases dos partidos de oposição — seus líderes locais, vereadores e, especialmente, prefeitos —, bem como muitos deputados e até alguns senadores, preferiram não se desgastar com seus eleitores, evitando polêmicas e embates com o presidente. Com isso, só reforçaram a tendência ascendente de sua aprovação. Neste momento, quando entramos na reta final do processo sucessório, os impasses vividos pela oposição nos últimos anos estão se tornando mais agudos. Se foi difícil opor-se ao governo, como convencer os eleitores de que é preciso mudar? Se a grande maioria de seus parlamentares, prefeitos, governadores, fez questão de não radicalizar em um discurso oposicionista ao longo de todo o segundo mandato de Lula, seria agora que o assumiriam?
Veja-se o caso de Serra. Nos quatro anos em que conviveu com Lula como governador de São Paulo, sempre se apresentou como parceiro do governo federal, com desavenças apenas pontuais. Houve, até, quem dissesse que Lula ficaria tranquilo se fosse ele o vencedor este ano, tão boas eram suas relações e tão profundos seus laços de amizade. Quem quis se iludir chegou a pensar que, para Lula, perder para Serra não era perder. E o que vai acontecer na campanha este ano? Salvo o ex-governador, obrigado a desempenhar o indesejável papel de adversário de Lula, a maioria dos candidatos dos partidos de oposição vai querer tudo, menos arriscar-se à derrota, confrontando os sentimentos dos eleitores. Aqui ou ali, quem concorre ao Legislativo talvez fale claramente que é contra Lula e o que ele representa. Mas não esperemos o mesmo dos candidatos a cargos majoritários, aos governos estaduais e ao Senado. Quem precisa de maiorias não vai se indispor com elas. Enquanto aumentam as pressões, vindas dos núcleos de oposição ao governo na sociedade e na mídia, para que Serra diga, sem rodeios, o que pensa, ele reluta. Tem consciência de que, fazendo isso, suas chances na eleição, que já são pequenas, podem desaparecer.

PARA REFRESCAR A MEMÓRIA DOS ESQUECIDOS OU DOS QUE FINGEM ESQUECER...


A revanche dos renegados
Kamila Fernandes29 Mai 2010 - 17h30min - O POVO, 30.05.2010.

-->Desde o século XV, XVI, nós do mundo ocidental sabemos que a Terra é redonda e dá voltas (parece que os gregos lá na Antiguidade já sabiam disso há muito mais tempo, mas, como foram deixados de lado por mais de um milênio, tivemos de ``descobrir`` tudo de novo).

E nessas voltas que a vida dá, recorrentemente acontecem aquelas situações chamadas de ``ironia`` da vida. Nesse momento, o Brasil assiste de camarote a um desses momentos singulares, mas só entende quem tem memória. Então, vamos a ela.

CENA 1, DEZEMBRO DE 2001

O PSDB, partido forte que buscaria, no ano seguinte, se manter no poder para a sucessão de Fernando Henrique Cardoso, tem uma disputa interna bastante quente, com as pré-candidaturas do então governador Tasso Jereissati, do Ceará - que em 1994 já tinha sido cotado também para ser candidato a presidente da República, perdendo espaço para o sucesso do Real -, e José Serra, o famoso ministro da Saúde que criou os genéricos e derrubou patentes de remédios para aids, mas que até ali não havia conquistado uma única eleição majoritária para o Executivo.

Apesar de nunca ter dito com todas as letras, Tasso queria mesmo ser candidato, mas numa reunião em Brasília onde participaram FHC e outros tucanos da cúpula, ficou claro para o cearense que o preferido do presidente era mesmo seu ministro da Saúde, que não mediria esforços para chegar onde queria. Depois dali, Tasso deixou sua disposição de lado e o efeito da rejeição foi imediatamente percebido: no lugar de reforçar a pré-candidatura do companheiro tucano, Tasso passou a dar apoio a outro nome da base governista, o da então governadora do Maranhão, Roseana Sarney (ex-PFL, hoje no PMDB). Roseana tomou gosto pela ideia.

No início de 2002, seu nome aparecia como a principal opção governista para suceder FHC e impedir a ``ameaça Lula`` de chegar ao poder. Sonho alimentado até 1º de março daquele ano, quando a Polícia Federal invadiu a sede da empresa de seu marido, a Lunus, em São Luís, encontrando ali mais de R$ 1 milhão em dinheiro vivo, que seria usado para a campanha presidencial da governadora. Sem Roseana no caminho, Serra foi confirmado presidenciável do PSDB, mas sem o apoio do PFL nem de Tasso, que fez campanha velada para seu parceiro Ciro Gomes (então no PPS, hoje ainda no PSB).

CENA 2, ELEIÇÕES DE 2006

O PSDB tenta impedir a reeleição de Lula e novamente há uma disputa interna no partido, mais uma vez com José Serra no páreo, só que contra outro paulista, Geraldo Alckmin, então governador de São Paulo. Após longa discussão interna, concluiu-se pela candidatura de Alckmin. Candidato ao Governo de São Paulo, Serra, contudo, não entra de cabeça na campanha do colega de partido, que, no fim, consegue até a façanha de levar o pleito ao segundo turno, mas acabou a segunda etapa com menos votos do que na primeira. CENA 3, DEZEMBRO DE 2009

O PSDB, partido que já amarga quase uma década fora do poder, aposta todas as suas fichas para o retorno ao Planalto na disputa do ano seguinte, já que Lula não estará mais no páreo. Internamente, nova concorrência pela cabeça de chapa presidencial, e novamente José Serra protagoniza o duelo, e contra um antigo aliado de Tasso, Aécio Neves, governador de Minas Gerais. Tasso chega a propor até prévias no modelo dos Estados Unidos para definir a escolha, o que foi logo debelado pelo grupo de Serra. Com a indefinição do governador de São Paulo (que não assumia publicamente sua pretenção) e a forte pressão interna, Aécio bate em retirada, mas não sem demonstrar certa mágoa. Mais uma vez, o PSDB paulista se sobrepõe ao PSDB ``nacional``, só que dessa vez acertando em cheio o Estado que concentra o maior percentual de eleitores do País, Minas.

Para evitar que Aécio repita o que Tasso fez em 2002, os tucanos tentam de todo jeito forçar o mineiro a aceitar o prêmio de consolação, a vice de Serra, mais para amarrá-lo do que para fortalecer de fato a chapa (como já ouvi mais de uma vez, se o vice é tão importante para conseguir votos, por que não torná-lo o candidato de fato?). Com o não de Aécio, dito desde que renunciou a disputa presidencial, mas reforçado esta semana, os serristas correm agora para Tasso, que também já rejeitou a hipótese. Recusas que aprofundam o mau momento pelo qual passa a campanha de Serra, com uma queda que não para nas pesquisas e que só fortalece sua principal adversária, Dilma Rousseff (PT).

Três cenas diferentes, mas com enredo e personagens que se repetem. Só que nas voltas que a vida dá, nem sempre a reação dos renegados obedece a lógica dos que renegam, a da obediência. O problema é que todo esse jogo que vem se repetindo desde 2001 tem causado enormes prejuízos ao PSDB, que vem perdendo espaço em vários Estados, reduzindo o número de lideranças e não conseguindo se renovar. Talvez tenha passado da hora de o partido parar para pensar como um grupo coeso, no qual as diferenças são discutidas, não atropeladas por certa vontade hegemônica (que nem é tão hegemônica assim), para que as candidaturas da sigla sejam mesmo dos tucanos, não de um ou outro. Por enquanto, a estratégia preponderante foi a derrotada.

* A manchete é deste blog.

sábado, 29 de maio de 2010

GOVERNO DO PT E AGRICULTURA FAMILIAR. O AVANÇO É GIGANTESCO.


Vejam a diferença fenomenal entre o que foi investido nos governos do PSDB (safra 2002/2003) e do PT (safra 2009/2010) através do PRONAF - Programa Nacional da Agricultura Familiar. A diferença é simples: o PRONAF já existia, porém sem as verbas suficientes para atender aos agricultores. O existir no papel e existir na realidade é que tem feito a diferença em favor da maioria do nosso povo.

Pronaf:

2002/3 R$, 4,5 bi e concentrado no Sul;


2009/10 R$ 15 bi, pulverizado em todo o Brasil.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

PARA REFLEXÃO DOS QUE APLAUDEM A FÚRIA MILITARISTA DOS ESTADOS UNIDOS...

À reflexão de todos:





























Estas fotos dão uma pequena mosta da desumanidade das guerras. Milhões de seres humanos, ao longo da história, foram exterminados em nome de falsas premissas. Guerras muitas vezes forjadas para favorecer a indústria armamentista. Estas fotos são de alvos civis (homens, mulheres, crianças, velhos, doentes etc) da invasão americana ao Iraque. A desculpa era de que o Iraque tinha armas de destruição em massa, inclusive armas químicas. Promoveram esse horror que as fotos expressam e não descobriram nenhuma dessas armas. Aliás, esse tipo de arma que as têm em profusão são exatamente as grandes potências mundiais, especialmente os Estados Unidos que detém a maior indústria da morte (armas que são capazes de destruir o mundo milhares de vezes).
Destruição, sofrimento, tortura, negação da humanidade e morte, eis o que significam as guerras.
Avante presidente Lula na luta pela resolução dos conflitos por meio do diálogo! Não à Guerra.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

BOMBA! BOMBA! TEM DEFUNTO NA FOLHA DE PAGAMENTO DA PREFEITURA.

COMPETÊNCIA E ATITUDE PROPORCIONAM O RECONHECIMENTO DA COMUNIDADE E DOS FORMADORES DE OPINIÃO AO TRABALHO DO SECRETÁRIO DEODATO RAMALHO.



















Deodato Ramalho recebe Medalha Ambientalista Chico Mendes

| I

26/05/2010
Homenagem da Câmara de Vereadores

No mês que completa um ano a frente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Controle Urbano, Semam, Deodato Ramalho recebe, nesta terça-feira, 1, a Medalha Ambientalista Chico Mendes concedida pela Câmara de Vereadores de Fortaleza. A medalha Chico Mendes é entregue a instituições públicas e privadas e personalidades que se destacaram com trabalho em defesa do meio ambiente, e das pessoas que lutam pela harmonia da sociedade com a natureza.

Para Deodato Ramalho a medalha é um reconhecimento do trabalho de todos que fazem a Semam. “Recebo a homenagem ressaltando o compromisso da gestão Luizianne Lins na defesa do Meio Ambiente assim como de todos os servidores que trabalham na secretaria”, explica Ramalho.

Além de Deodato Ramalho também serão agraciados com o Prêmio “Medalha Ambientalista Chico Mendes” o SOS Cocó, Grupo Tramas, Profº Jeovah Meireles, Fórum Lixo & Cidadania, Movimento Proparque Rio Branco e Raquel de Queiroz.

A solenidade acontece às 15 horas da terça-feira, 1º de junho, na Câmara Municipal de Fortaleza: Rua Thompson Bulcão, 830 - Bairro: Luciano Cavalcante.

VAMOS NÓS: Normalmente esse tipo de homenagem e reconhecimento é destinado a quem aponta os erros dos governos, por isso quase sempre os homenageados são pessoas do movimento ambientalista, o que tornar essa escolha do nosso Diretor Geral mais significativa ainda. A Medalha Chico Mendes é a maior comenda na área ambiental da Câmara Municipal de Fortaleza.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

A BRAVA SENADORA MARINA NÃO DEVERIA SE SUBMETER A ESSE CONSTRANGIMENTO.


No lançamento da candidatura do deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) a governador do Rio - coligação PV-PSDB-DEM-PPS...

- no fim de semana, militantes apagaram de algumas faixas o nome da pré-candidata do seu partido a Presidência da República, senadora Marina Silva (PV-AC). No lançamento da candidatura na sede do América Futebol Clube, na Tijuca, a reportagem do G1, por exemplo, encontrou o nome de Marina coberto com fitas adesivas em pelo menos quatro faixas.
As desculpas dadas ao portal foram as mais esfarrapadas possíveis: primeiro que os militantes precisaram improvisar porque não sabiam que pela lei, as campanhas eleitorais só podem começar em 6 de julho. Mas, o ato nem era isso, era um lançamento de candidatura permitido pela legislação! Depois vieram com outra justificativa, a de que era necessário evitar faixas e cartazes com os nomes de candidatos à presidência como Marina e José Serra (PSDB-DEM-PPS) - este o candidato ao Planalto apoiado por Gabeira que, por sua vez é o candidato dos tucanos e cia ao governo do Rio.
Eis aí um político que fala contra os velhacos da política mas pratica tal vilania contra a candidata de seu partido. Ou ele vai alegar que não viu as faixas com o nome de Marina cobertos com fita adesiva? Começou mal. Blog do Zé
Leia também comentário Dilmista: http://dilma13.blogspot.com/2010/05/os-lapsos-seletivos-de-marina-silva.html#links
DILMA NA WEB: http://www.dilmanaweb.com.br/content/main/

terça-feira, 25 de maio de 2010

RESULTADO DA ENQUETE SOBRE OS EMPREGOS FANTASMAS: 100% DE CONDENAÇÃO.

O QUE VOCÊ ACHA DA CORRUPÇÃO PRATICADA POR UM EDUCADOR?
É mais grave. Educador tem obrigação de dar bom exemplo.
22 (59%)
Péssimo exemplo aos jovens.
4 (10%)
É igual à de quem não é educador.
3 (7%)
Deveria devolver todo o dinheiro ilegalmente recebido.
9 (24%)
O culpado é só quem patrocina a fraude.
0 (0%)

> Os internautas/blogueiros que responderam à enquete deixaram claro que há luz no fim do túnel. 100% (cem por cento) condenaram a pouca-vergonha de alguém que se diz educador está praticando esse tipo de fraude. Diante da insofismável manifestação de repúdio esse imoralidade perguntamos ao "educador", "diretor", "radialista", "assessor" Adelmo Rodrigues de Freitas se ele ainda vai continuar recebendo dinheiro do povo do Ceará, por meio da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará, sem trabalhar e ainda acumulando com o que recebe como Diretor do CVT (prática proibida pela Constituição Federal). Com a palavra o "diretor", "educador", "assessor" e os seus padrinhos políticos que patrocinam essa imoralidade.

Atenção: quem souber de outros "educadores" que também estejam praticando essa mesma imoralidade por favor coloquem os seus nomes no comentário desta postagem.

Maluf decidirá se o senador Francisco Dorneles será Vice do José Serra



.O jantar foi muito importante: na mesa a decisão sobre quem será o candidato a vice-presidente na chapa do José Serra.


Sentados em volta da mesa estão: Paulo Maluf, Pedro Henry e Sérgio Guerra. Paulo Maluf é o ex-governador e ex-prefeito de São Paulo, hoje procurado pela polícia internacional - Interpol. Pedro Henry é "velho conhecido de José Serra do tempo do escândalo sanguessuga, das ambulâncias, do qual é réu. Quando Serra era ministro da Saúde no governo FHC, Henry estava no PSDB". Sérgio Guerra, é o presidente do PSDB, que escondeu da justiça eleitoral ter um haras.



O José Serra e o PSDB sabe que o Maluf é quem manda em metade do partido PP. Sem seu apoio nada acontece. O que será que negociaram? No governo do PT o Maluf e o deputado Henry tiveram muitos problemas com a polícia federal e a justiça. Não só os dois, mas os familiares também. Existe a hipótese de que as conversas tenham girado no sentido da ação da justiça e da polícia. Me dá arrepio saber que este pessoal se reuniu. É o passado dos sanguessugas e da impunidade TOTAL.
Maluf, Serra, Pedro Henry são o passado. Um passado que teima em voltar para restaurar o tempo em que investigação era de mentirinha. O José Serra deu o exemplo aqui em São Paulo: a polícia civil de SP jamais incomodou qualquer político aliado.Quando o problema da corrupção fica muito visível eles avisam ANTES que vão investigar. Duvida? Leia aqui: Descubra como a corrupção se perpetua em São Paulo http://chicaodoispassos.blogspot.com/2009/04/descubra-como-corrupcao-se-perpetua-em.html
Não deixe de ler esta reportagem:
NÃO SE ESQUEÇA: A MESMA POLÍCIA QUE NÃO INVESTIGA POLÍTICOS TAMBÉM NÃO INVESTIGA O CRIME ORGANIZADO.É POR ISTO QUE O PCC DOMINOU O CRIME EM SP.É POR ISTO QUE A POLÍCIA CIVIL DE SÃO PAULO NUNCA PRENDE POLÍTICOS.É COM ESTE "BOM EXEMPLO" QUE O JOSÉ SERRA E O ALCKMIN CONTAM PARA CONQUISTAR MUITOS ALIADOS POLÍTICOS.
Leia também: Paulo Maluf, o poderoso, se sair do Brasil pode ser preso
http://machoverdadeiro.blogspot.com/2010/05/paulo-maluf-o-poderoso-se-sair-do.html

MAIS UMA FARSA CAI POR TERRA...ALIÁS, MAIS CEDO DO QUE SE ESPERAVA!

PRA BOI DORMIR...OU COMO SE FAZ O POVO DE PALHAÇO!!!
19 distritos reúnem condições.O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Domingos Filho (PMDB), anunciou ontem, no fim da tarde, em seu gabinete, a lista de 19 dos 57 pedidos de emancipação de distritos, encaminhados ao Legislativo desde o início do ano, que estão aptos a tramitar por terem conseguido preencher os requisitos exigidos pela Lei estadual seguirem em tramitação na Assembleia, após reunião dos deputados que compõem o referido colegiado. Já os demais distritos foram reprovados nos critérios de população, econômico-financeiro e infraestrutura.Fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?

PSB: Quer dizer então que as reuniões do Vereador Esperto Anchieta e o Domingos Filho, com a lorota de emancipação, era só para enganar os bestas do Ibuaçu e divulgar o nome do filho do Deputado? Eita meninos sabidos...
(Colaboração do blogueiro Cidadão 2010).

SECRETÁRIO DEODATO RAMALHO INTENSIFICA AÇÕES AMBIENTAIS EM FORTALEZA.

Meio Ambiente é tema de oficinas no Grande Bom Jardim


25/05/2010





Educação Ambiental

Jovens de cinco bairros de Fortaleza estão tendo acesso a aulas de educação ambiental. É o Protejo, um projeto do Programa Nacional de Segurança Pública - PRONASCI, que vem sendo desenvolvido no Território do Grande Bom Jardim, que compreende os bairros Granja Portugal, Granja Lisboa, Bom Jardim, Canindezinho e Siqueira. O público deste projeto está entre a faixa etária de 15 a 24 anos, sendo caracterizado pela situação de risco social e consequentemente exposição à violência. O Protejo possui uma grade curricular com 800h/aulas, que são trabalhadas a partir de metodologias lúdicas, artísticas e culturais. Dentro do curso estão previstas oficinas profissionalizantes, além dos conteúdos voltados para a Formação Cidadã.

Dentre os temas abordados, o do meio ambiente é o que foi rabalhado no mês passado, tendo como atividade conclusiva as oficinas realizadas nesta semana e na próxima. Depois de oficinas, os jovens participam de plantio de mudas em pontos estratégicos escolhidos nos próprios bairros.

sábado, 22 de maio de 2010

DE PRECISÃO CIRÚRGICA OPINIÃO DO MANO BROWN SOBRE O ZÉ SERRA.



.Dado importante pesquisa DataFolha: na espontânea somados Dilma (19%) + Lula (5%) + candidato do Lula (3%), PT (1%). Total: 28% contra 14% do candidato do FHC.

.Sobre Marina Silva diz o seu mentor político, dom Moacyr Grechi: "Não vejo nenhuma esperança de vitória. Falta nela o perfil de presidente. Mais do que perfil, a capacidade de reagir a pressão de todo o gênero." (Diário do Nordeste, contra-capa, 23.05.2010)

Siga-me no twitter: www.twitter.com/deodatoramalho

FUNDAMENTALISMO: NEGAÇÃO DA HUMANIDADE EM CRISTO.


Londres, 22 mai (EFE).

- Grupos de evangelistas americanos contribuem para fomentar a homofobia nos países africanos, segundo religiosos de outras denominações cristãs. O reverendo Kapya Kaoma, um anglicano da Zâmbia que dirige o projeto da fundação progressista americana "Political Reseach Associates", denunciou hoje ao jornal britânico "The Times".

Após entrevistar durante 16 meses dezenas de pessoas em Uganda, Quênia e Nigéria, o sacerdote concluiu que a intolerância dos africanos aos gays é em parte importada dos Estados Unidos.

"Com ajuda de suas amplas redes de comunicações na África, os projetos de bem-estar social, as escolas bíblicas e os professores, os conservadores americanos advertem dos riscos que representam os homossexuais e se apresentam como representantes do evangelismo desse país", assinala Kaoma em seu relatório.

"Não discutimos o fato de que parte do dinheiro enviado à África (os evangelistas) tenha fins louváveis, mas nos preocupa o doutrinamento de uma ideologia conservadora dos que recebem essas ajudas", declarou o sacerdote anglicano ao jornal "The Times".

O resultado pode ser visto, por exemplo, no Malauí, onde nesta semana um casal foi condenado a 14 anos de prisão e trabalhos forçados, e em outros países do continente, onde gays e lésbicas estão cada vez mais expostos a ira popular. EFE
(Boa colaboração mandada por um anônimo. Não entendo o por quê do anonimato... 22 de maio de 2010 14:49).

MAIS UM INVESTIMENTO DE IMPACTO AMBIENTAL E SOCIAL DO GOVERNO DO PT.




De ‘bike’ de casa para a escola
Programa federal prevê até meio milhão de bicicletas para alunos da rede pública. Secretaria Estadual de Educação demonstrou interesse nas ‘magrelas’ e deu outra boa notícia aos estudantes: melhores ganharão 70 mil notebooks
POR CHRISTINA NASCIMENTO
Rio - As ‘magrelas’ podem ser o novo meio de transporte dos alunos da rede pública do Rio. Projeto do Ministério da Educação (MEC) visa a incentivar municípios e estados a adquirir, ainda este ano, bicicletas para que os estudantes façam o trajeto para as escolas. Essa, no entanto, não é a única novidade para a garotada. Ontem, o governador Sérgio Cabral anunciou que pelo menos 70 mil jovens matriculados em unidades do estado vão receber, em 2011, notebooks — computadores portáteis.
Em nota, a Secretaria Estadual de Educação disse que considera interessante o projeto do MEC e está aberta a estudar a proposta. Dois modelos de ‘magrelas’ foram testados por estudantes de 22 cidades — entre eles os de São Fidélis, interior do Rio. Elas são amarelas e têm aro 18, para crianças, e aro 26, para os alunos maiores. A expectativa do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) é de que, na semana que vem, seja publicado o edital que vai, por meio de um pregão, escolher a empresa que fornecerá as bicicletas. Até meio milhões de bikesO governo federal organizará a compra de até 500 mil unidades para todo o País. A ideia é conseguir o melhor preço e apresentá-los a estados e municípios, que farão a aquisição. Quem vencer a licitação terá que se comprometer a fazer a entrega das bicicletas às cidades interessadas. “É alternativa viável para que o estudante que percorre pequenas distâncias faça o caminho para a escola”, defendeu o coordenador-geral de Apoio à Manutenção Escolar, órgão do FNDE, José Maria Rodrigues de Souza, durante palestra, ontem. Ficará a critério de cada cidade ou estado decidir se a bicicleta será doada ao aluno ou se ele terá que devolvê-la ao sair da escola.Segundo ele, o MEC acredita que o uso da bicicleta vai motivar hábitos saudáveis entre os jovens: “Estamos em clima de Olimpíada. Imagino que pode ser uma forma até de descobrir novos talentos”.


Computadores


Estado dará 10 mil computadores para os melhores de cada sérieOs 70 mil notebooks que o estado dará ano que vem fazem parte do programa Geração Futuro, anunciado pelo governador Sérgio Cabral. Ele ontem entregou, em Niterói, 845 computadores portáteis para alunos que se destacaram em oito municípios. Ao todo, este ano, serão doados 7.533. Apesar de ser ano de eleição, Cabral, que é candidato, prometeu: “A partir do ano que vem, vamos dar 10 mil para cada ano (série)”. Normalistas também ganharão.“A melhor maneira de valorizar o ensino é premiar os que correm mais atrás. Aproveitem bem esse computador, não somente para namorar e ficar no Orkut, mas para estudar”, brincou Cabral.Primeira colocada do 3º ano do Ensino Médio de Niterói, Ravellyn Roia Borges, 18 anos, já está na faculdade de Direito e vai seguir os conselhos: “É uma sensação de dever cumprido receber esse prêmio, vai ajudar nas minhas pesquisas”.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

ESSE PESSOAL DO DEM E DO PSDB JÁ GOSTA DE UM FUNCIONÁRIO FANTASMA. ALIÁS, NÃO TÃO FANTASMA ASSIM: LARÁPIOS.

Senado cria comissão para investigar caso de funcionárias fantasmas no gabinete de Efraim Morais Camila Campanerut
Do UOL Notícias Em Brasília
A diretoria geral do Senado abriu sindicância para apurar as denúncias de duas supostas funcionárias fantasmas que recebiam salário sem nunca ter trabalhado no gabinete do senador Efraim Morais (DEM-PB).
'Fantasmas' de Efraim prestam depoimento
Nos documentos entregues à Polícia Civil, onde as duas irmãs denunciaram o esquema fraudulento, Kelriany e Kelly não só aparecem na relação de funcionários do gabinete de Efraim, como têm registrados os descontos no imposto de renda e os saques em dinheiro referentes à restituição do tributo
Leia mais
As irmãs Kelly e Kelriany Nascimento da Silva afirmam ter recebido uma espécie de “bolsa-educação” de R$ 100 mensais, por um ano, em troca de autorizaram a abertura de contas bancárias seus nomes. O acordo teria sido intermediado por Kátia Bicalho, irmã de Mônica Conceição Bicalho, que trabalhou como assessora jurídica de Efraim por sete anos.
Ao tentar abrir uma conta bancária, Kelriany teria descoberto que tinha dívidas e que constava como funcionária do Senado, recebendo salário de R$ 3.800. As irmãs denunciaram a fraude à Polícia Civil de Sobradinho, cidade-satélite do Distrito Federal.
Segundo boletim administrativo do Senado divulgado nesta sexta-feira (21), uma comissão foi criada e três servidores já foram designados para compor o grupo que irá investigar a situação das irmãs. Paralelamente, a Polícia Legislativa apura o caso.
Ontem, as jovens prestaram depoimento por mais de 7h. Nesta sexta-feira (21) um homem, que atua como contínuo no gabinete do parlamentar, também foi ouvido. Ele teria tomado posse em nome das irmãs por uma procuração falsa, mas a polícia não confirma a versão. Na próxima semana, será ouvida a ex-servidora Mônica da Conceição Bicalho. Em nota, Mônica admite a irregularidade, mas nega que o senador tenha conhecimento das contratações.

A PREPARAÇÃO DA DISPUTA ELEITORAL MOVIMENTA PARTIDO DOS TRABALHADORES.


PARA ENTENDER AS PESQUISAS ELEITORAIS.

(Blog do Eliomar de Lima)
O jornalista Ricardo Alcântara manda artigo para o Blog com o título “Pesquisas de bola parada”. O publicitário garante que pesquisa influencia , e muito, no processo eleitoral. Confira:
Ainda há quem questione se pesquisas influenciam resultados eleitorais. Quem duvida deveria perguntar a quem faz campanha: cabos eleitorais, financiadores, marqueteiros e, claro, candidatos. A resposta é unânime.
Pesquisas influenciam, sim, e muito: no ímpeto da militância, na capacidade de arrecadação dos comitês e, em alguns casos, constroem cenários que agregam maior ou menor prestígio aos candidatos perante os eleitores. O nível de influência varia em função das condições específicas e de cada momento da disputa. Pode ser superficial. Raramente é decisivo. Mas é sempre um fator que influi no ânimo de quem faz e de quem decide. Há, basicamente, dois momentos em que se realizam pesquisas eleitorais e cada um requer leitura diferenciada dos números. Entre um momento e outro, vai se reduzindo o espaço que separa tendência e decisão. O primeiro é o que vemos agora: as pessoas assistem na televisão, leem nos jornais e escutam nas rádios o noticiário político que as influenciam e isso se reflete nas pesquisas. Mas o que se revela aí ainda é pouco consistente. Tais pesquisas captam percepções fortemente construídas por influência de fatores consolidados: recall, o humor com a economia, preferências partidárias, publicidade governamental e por aí vai.
Na etapa seguinte, com a campanha nas ruas, o debate eleitoral entra na rotina das pessoas. Então, não mais apenas a mídia, mas também os eleitores entre si, sobretudo os mais informados, passam a formar opinião. Para usar uma metáfora esportiva (mais uma!), o primeiro tipo sonda prognósticos a partir das condições postas até o início da partida. A segunda, já avalia o andamento do jogo, o desempenho efetivo, as prevalências reais. Um exemplo estatístico: é muito raro que um candidato do PT chegue ao dia da votação com índices menores do que aqueles apontados nas pesquisas realizadas quando seu nome foi colocado ao eleitor. Cresce, quase sempre. Por que? O partido tem militância mobilizada e eleitores com maior nível de identificação ideológica. Daí, quando “a bola começa a rolar”, o potencial multiplicador deles passa a fazer a diferença. É uma mudança previsível. No caso da sucessão presidencial, José Serra precisa colocar uma boa vantagem sobre Dilma Rousseff até o início da campanha porque, quando o jogo começar, as brigadas do lulismo farão a tal diferença, não duvidem. Se aos petistas preocupa a pouca intimidade de sua candidata com o picadeiro eleitoral, para os tucanos o tormento é maior: os petistas estarão pelas ruas durante todo o dia e Lula à noite, na televisão. Todas as noites.

Ricardo Alcântara,
Publicitário.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

SENSACIONAL. IMPERDÍVEL. A ESCOLINHA DO "PROFESSOR" SERRA...

Escolinha do professor Serra
Se eleito, Serra quer continuar dando aula para crianças. E você, quer o professor Serra dando aulas para seus filhos? Veja o vídeo antes de responder!
O candidato à presidência da República, José Serra (PSDB), disse em entrevista à Rádio Jornal, do Recife, que, se eleito presidente, irá manter um hábito que adotou quando estava à frente do executivo: dar aula em escola pública. "Tempo tem, e vou fazer", disse.
Serra disse que gosta de tomar a tabuada e ensinar a meninada a fazer tabelas e gráficos. Para o tucano, é uma forma de fiscalizar como anda a educação na prática.

UMA MEDIDA SIMPLES E OBJETIVA NÃO CONSTA DO PROJETO: PRAZO DEFINIDO PARA O JULGAMENTO...


Ficha Limpa passa, mas gera dúvidas

Uma emenda na redação criou dúvidas sobre a aplicação da lei, que valeria para políticos já condenados ou se só para aqueles que sofrerem condenações no futuro. Também não se sabe se a lei valerá para a eleição deste ano

20 Mai 2010 - 00h42min - O POVO.

O Senado aprovou ontem por unanimidade o projeto Ficha Limpa, que impede a candidatura de pessoas com condenação por um colegiado. O texto vai à sanção do presidente Lula. Não há consenso, porém, sobre a aplicação da nova lei nas eleições deste ano. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi questionado a respeito, mas ainda não se manifestou.
Emenda de redação apresentada pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ) mudou os tempos verbais em cincos artigos. Fala, por exemplo em políticos que "forem condenados" em decisão transitada em julgado em vez dos que "tenham sido condenados".
Segundo o relator da proposta, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), a alteração no tempo verbal serviu apenas para unificar o texto.
"Você não pode usar uma nova lei retroativamente para prejudicar ninguém. Casos com julgamento definitivo não serão atingidos pela lei. Isso sempre esteve claro. Mas todos os processos em andamento serão, sim, abrangidos por ela."
Deputados ouvidos pela reportagem, no entanto, criticaram a mudança e disseram que ela poderá suscitar dúvidas sobre o alcance do projeto para políticos já condenados. ``O Senado fez mudanças no Ficha Limpa. Mudou o mérito do projeto. Existirão muitas dúvidas na interpretação``, disse Flávio Dino (PC do B-MA).
Tanto senadores oposicionistas como governistas concordaram que a proposta, que recebeu voto favorável de 76 senadores, não é "perfeita" nem "acabada", mas representa um passo importante na moralização política.
Lula tem até 15 dias para sancionar o projeto. Segundo auxiliares do presidente, ele não tem motivos para vetá-lo.

Iniciativa popular

O projeto aprovado pelo Congresso é resultado de iniciativa popular com 1,6 milhão de assinaturas. A nova lei torna inelegíveis aqueles que tenham sido condenados por decisão colegiada da Justiça (por mais de um juiz), mas estabelece o chamado efeito suspensivo, também em caráter colegiado.
Ou seja, um político condenado por colegiado pode recorrer e também um colegiado irá dar ou não o efeito suspensivo. Pela legislação atual, o candidato só fica inelegível quando for condenado em última instância e não existir mais a possibilidade de recurso.
Segundo o projeto aprovado ontem, fica inelegível o político condenado por corrupção, gasto ilícito de campanha e compra de votos, abuso de autoridade e crimes hediondos, como estupro, sequestro. (das agências)

VAMOS NÓS: O projeto de lei FICHA LIMPA, prestes a se transformar em lei, representa um avanço no sistema eleitoral brasileiro. Contudo, além das dúvidas acima suscitadas, é preciso alertar para alguns pontos importantes nessa matéria:
1. O projeto pecou ao não regular claramente os casos que levam à inelegibilidade por desaprovação de contas, ou seja, separar os casos de improbidade administrativa dos casos relacionados à desaprovação de contas por irregularidade sanável. Hoje, por exemplo, os tribunais divulgam a relação colocando todos no mesmo balaio;
2. Não estabeleceu um prazo certo para julgamento, pelo colegiado de juízes/desembargadores, dos processos, medida fundamental para acabar com a indefinição judicial (um exemplo: processos aqui mesmo de Boa Viagem, com ex-gestores condenados a vários anos de prisão se arrastam na Justiça desde 1994...);
3. Não tendo esse prazo definido, como não tem, todos os políticos de Boa Viagem que estão respondendo processo atualmente, alguns já condenados em primeira instância (por um só juiz), acabarão por continuar a ser beneficiados por essa lentidão do Judiciário.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

DEBATE REABRE A FERIDA: NA ÉPOCA DO PSDB PREFEITOS ERAM RECEBIDOS NA PORRADA...


Dilma é aclamada por prefeitos em debate com presidenciáveis
quarta-feira, 19 de maio de 2010
A petista Dilma Rousseff foi a única a sair ovacionada do debate entre três presidenciáveis promovido nesta quarta-feira (19) pela Marcha Nacional de Prefeitos, que desde ontem cerca de 4 mil administradores municipais em Brasília.Além de Dilma, participaram Marina Silva (PV) e José Serra (PSDB). A ex-ministra foi a última a falar. Ela rebateu a acusação recorrente do tucano, de que o PT teria aparelhado o Estado.
"Faremos um governo municipalista. Não olhamos filiação partidária". Em um ataque aos tucanos, ela afirmou que o atual governo tirou o país de uma "época terrível, sem planejamento". Dilma disse que a época de "prefeitos com pires na mão" foi enterrada pelo governo federal. A petista afirmou que a construção de "creches é uma das coisas mais importantes" do próximo mandato. Ela assumiu o compromisso de, se eleita, lutar por mais recursos para a saúde, mas ressaltou: "Sabemos perfeitamente que houve perda de R$ 40 bilhões quando a CPMF foi extinta".
Aos prefeitos, Dilma defendeu as desonerações do governo, lembrando que, desde que Lula assumiu, a participação dos municípios no bolo tributário cresceu de 13% para 19%. E disse ser contra "fazer bondade com chapéu alheio". "Sou a favor do diálogo para discutir, justamente, o chapéu."
Repetindo ataque feito pelo ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais), ela disse que FHC recebia prefeitos com "cães e polícia".
Dilma afirmou ainda que, além do pré-sal, os prefeitos também devem brigar pelos royalties da mineração brasileira. Ela disse que a partilha do pré-sal é mais importante que os royalties. "Não estou desfazendo dos royalties. Acho importantíssimo que os prefeitos recebam. Mas jamais descuidem de olhar a receita da partilha."
"Nosso objetivo era distribuir para todos os municípios", reiterou Dilma, acrescentando que, "infelizmente", isso não foi possível. Dilma foi aplaudida por prefeitos ao afirmar que o Brasil deve ser elevado à quinta economia do mundo não pelo seu PIB (Produto Interno Bruto), mas pelo "nível de vida da sua população".
A petista ainda defendeu dois pontos "inimigos" dos cofres das pequenas prefeituras: piso para o magistério e aumento real do salário mínimo. "Isso [problema de caixa dos prefeitos] não pode ser entrave para darmos os primeiros passos."Dilma foi a única dos presidenciáveis a deixar o auditório do Hotel Royal Tulip, onde se realiza a Marcha dos Prefeitos, aclamada por gritos dos municipalistas: "Brasil pra frente, Dilma presidente".
Ela encerrou sua participação no debate com os prefeitos afirmando que o presidente Lula "lançou as bases" para o Brasil, mas que "só superando a nós mesmos podemos chegar a ser um grande país".
Marcha
Cerca de 4.000 prefeitos participam da Marcha Nacional em Defesa dos Municípios, que começou ontem em Brasília.
Durante a sabatina, cada pré-candidato teve uma hora para expor suas ideias e responder às perguntas. A ordem foi definida em sorteio. O primeiro a falar foi Serra, seguido por Marina e Dilma. Foram três temas preestabelecidos: pacto federativo, educação e saúde.

SERRA CONSTRANGE PSDB DO CEARÁ E MOSTRA FRAGILIDADE DOS TUCANOS CEARENSES.
















``Não, não (vou pedir votos), o Cid é de outro partido, tem outras alianças, e seria muito constrangedor pra mim fazer isso`` (Jornal O POVO de hoje).

VAMOS NÓS: Diante dessa afirmação, como ficam o PSDB e o seu líder Tasso Jereissati, que mendigam uma carona no palanque do Cid Gomes?

terça-feira, 18 de maio de 2010

AVE AGOURENTA TORCE CONTRA A PAZ NO MUNDO!

FHC questiona 'gol' de Lula com o Irã

Ex-presidente relutou em comentar o assunto e só falou após insistência dos jornalistas. 'Precisa ver o juiz apitar que deu o gol mesmo, ou se houve impedimento. Eu não sei', disse

17 Mai 2010 - 18h54min

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) relativizou nesta segunda-feira, 17, a atuação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no fechamento do acordo sobre a questão nuclear com o Irã. Questionado se o Brasil havia feito um “gol” para a solução do impasse, FHC respondeu: “Precisa ver o juiz apitar que deu o gol mesmo, ou se houve impedimento. Eu não sei.” Em entrevista à rádio CBN, na manhã desta segunda, a pré-candidata Dilma Rousseff (PT) disse que Lula “marca um gol no Oriente Médio” ao fechar o acordo com o Irã.

FHC relutou em comentar o assunto e só falou após insistência dos jornalistas. “Eu não posso falar do Irã, porque cheguei há pouco do México. Não li nada”, justificou, após participar de almoço com ex-presidentes da Espanha, do Uruguai e do Chile na Bolsa de Valores, no centro da capital paulista.

O acordo nuclear foi firmado nesta segunda entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Mahmoud Ahmadinejad, do Irã, além do primeiro-ministro da Turquia, Tayyip Erdogan. O presidente iraniano aceitou trocar 1.200 quilos de urânio por material nuclear (enriquecido a 20%) equivalente para seu reator de pesquisas médicas. O processo deverá se dar em território turco.”

VAMOS NÓS: FHC, de triste memória, que deixou o País de joelhos aos interesses imperialistas dos Estados Unidos (episódio mais humilhante: o chanceler brasileiro teve que tirar os sapatos em revista em aeroporto americano), não se conforma com o prestígio internacional do presidente Lula e do governo do PT. De tão cego que está chega ao ponto de torcer contra uma iniciativa de Paz que interessa a toda a humanidade. Quem não recorda as mentiras do governo americano quanto à falsa existência de armas químicas no Iraque, que levou à morte milhares de seres humanos? Homens, mulheres, pessoas idosas, crianças, inclusive... Depois de tanta destruição e morte, até hoje nunca foi descoberta nenhuma arma química. Aliás, quem tem uma verdadeira indústria da morte são exatamente os Estados Unidos.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

LULA (AQUELE QUE NÃO ENTENDE DE "BULUFAS" DE NADA!)


Pedro Lima
Lula, que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e pobres à condição de consumidores; e que também não entende de economia; pagou as contas de FHC, zerou a dívida com o FMI e ainda empresta algum aos ricos. Lula, o analfabeto, que não entende de educação, criou mais escolas e universidades que seus antecessores juntos [14 universidades públicas e estendeu mais de 40 campi], e ainda criou o PRÓ-UNI, que leva o filho do pobre à universidade [meio milhão de bolsa para pobres em escolas particulares].
Lula, que não entende de finanças nem de contas públicas, elevou o salário mínimo de 64 para mais de 291 dólares [valores de janeiro de 2010], e não quebrou a previdência como queria FHC. Lula, que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e disse que o Brasil está melhor que o mundo. Embora o PIG - Partido da Imprensa Golpista, que entende de tudo, diga que não.
Lula, que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de nada, reabilitou o Proálcool, acreditou no biodiesel e levou o país à liderança mundial de combustíveis renováveis [maior programa de energia alternativa ao petróleo do planeta]. Lula, que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, passou a ser respeitado e enterrou o G-8 [criou o G-20].
Lula, que não entende de política externa nem de conciliação, pois foi sindicalista brucutu; mandou às favas a ALCA, olhou para os parceiros do sul, especialmente para os vizinhos da América Latina, onde exerce liderança absoluta sem ser imperialista. Tem fácil trânsito junto a Chaves, Fidel, Obama, Evo etc. Bobo que é, cedeu a tudo e a todos.
Lula, que não entende de mulher nem de negro, colocou o primeiro negro no Supremo (desmoralizado por brancos) uma mulher no cargo de primeira ministra, e que pode inclusive, fazê-la sua sucessora. Lula, que não entende de etiqueta, sentou ao lado da rainha (a convite dela) e afrontou nossa fidalguia branca de lentes azuis.
Lula, que não entende de desenvolvimento, nunca ouviu falar de Keynes, criou o PAC; antes mesmo que o mundo inteiro dissesse que é hora de o Estado investir; hoje o PAC é um amortecedor da crise. Lula, que não entende de crise, mandou baixar o IPI e levou a indústria automobilística a bater recorde no trimestre [como também na linha branca de eletrodomésticos].
Lula, que não entende de português nem de outra língua, tem fluência entre os líderes mundiais; é respeitado e citado entre as pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual [o melhor do mundo para o Le Monde, Times, News Week, Financial Times e outros...].
Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um brucutu, já tinha empatia e relação direta com George Bush - notada até pela imprensa americana - e agora tem a mesma empatia com Barack Obama.
Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um agitador; é amigo do tal John Sweeny [presidente da AFL-CIO - American Federation Labor - Central Industrial Congres - a central de trabalhadores dos Estados Unidos, que lá sim, é única...] e entra na Casa Branca com credencial de negociador e fala direto com o Tio Sam lá, nos "States".
Lula, que não entende de geografia, pois não sabe interpretar um mapa é autor da [maior] mudança geopolítica das Américas [na história].
Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e se torna interlocutor universal.
Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor de bravatas; faz história e será lembrado por um grande legado, dentro e fora do Brasil.
Lula, que não entende nada de conflitos armados nem de guerra, pois é um pacifista ingênuo, já é cotado pelos palestinos para dialogar com Israel.


Lula, que não entende nada de nada;
é bem melhor que todos os outros...!

Pedro Lima
Economista e professor de economia da UFRJ


Contribuição de um internauta com o seguinte comentário:
DESCULPE OS NAO-LULAS, MAS COMO RECEBO MUITOS EMAILS IRONIZANDO, DEBOCHANDO E FALANDO HORRORES DELE ACHO QUE TENHO O DIREITO DE ENVIAR UM UNICO EMAIL QUE FALE BEM DESSE "ANALFABETO".

RÁDIO LIBERDADE COM NOVO INSTRUMENTO DE COMUNICAÇÃO.









Convidamos aos internautas a intensificar a comunicação conosco.

Além do site, do blog e do e-mail
criamos agora o nosso contato por meio do Twitter, cujo endereço é o seguinte:



Deodato Ramalho
http://www.deodatoramalho.blogspot.com/
www.twitter.com/deodatoramalho
deodatoramalho@gmail.com

INSTITUTO SENSUS: MAIS UMA PESQUISA CONFIRMA PRÉ-CANDIDATA DO PT NA FRENTE.

Dilma venceria o primeiro turno, indica pesquisa CNT/Sensus
segunda-feira, 17 de maio de 2010
No 2º turno, petista venceria com 41,8% dos votos, contra 40,5% do ex-governador tucanoCarol Pires, do estadão.com.brBRASÍLIA -

A pré-candidata do PT à sucessão do presidente Lula, Dilma Rousseff ficaria em primeiro lugar no primeiro turno da eleição de outubro, com 35,7%, vencendo José Serra, candidato do PSDB, ficaria com 33,2% dos votos. Os números são da pesquisa Sensus divulgada na manhã desta segunda-feira pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Marina Silva, do PV, foi apontada por 7,3%. José Maria Eymael, do PSC, recebeu 1,1% das intenções de voto. Os outros sete pré-candidatos de partidos nanicos receberam menos de 1% cada.

Em outro cenário, porém, quando a pesquisa Sensus apresenta uma lista apenas com os nomes dos principais candidatos - Dilma, Serra e Marina - o ranking se inverte. O candidato do PSDB recebe, nesta situação, 37,8% das intenções de voto, batendo Dilma Rousseff, com 37% e Marina Silva, com 8%. O restante dos entrevistados votaria branco ou nulo.

Em janeiro deste ano, quando a CNT/Sensus apresentou esta mesma lista aos entrevistados, José Serra estava bem na frente da candidata do PT, com 40,7%. Dilma Rousseff recebeu, naquele mês, 28,5% das intenções de voto. Marina Silva havia ficado com 9,5%. A 101ª. pesquisa entrevistou 2 mil eleitores, em 126 municípios de 24 estados. A margem de erro é de mais ou menos 2,2%.

Segundo turno

Se a eleição de outubro para presidente da República fosse decidida em segundo turno entre Dilma Rousseff e José Serra, a candidata petista venceria com 41,8% dos votos, contra 40,5% do ex-governador tucano. Isso é o que aponta pesquisa Sensus divulgada hoje pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Na pesquisa feita em janeiro, Serra estava na frente com 44%. Dilma Rousseff recebeu 37,1% da preferência.Outro cenário, com Dilma Rousseff e a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (PV) disputando o segundo turno, a petista venceria com 51,7%, deixando Marina com 21,3%.

Esta é a primeira vez que a Sensus simula esta hipótese de segundo turno. Com José Serra e Marina Silva disputando o segundo turno, o tucano seria eleito com 50,3% e a ex-ministra ficaria com 24,3%.

Também é a primeira vez que os dois aparecem num cenário simulado pela pesquisa. Espontânea

Dilma Rousseff, pré-candidata do PT, também aparece em primeiro lugar na pesquisa espontânea da 101ª. pesquisa CNT/Sensus, divulgada na manhã desta segunda-feira, com 19,8%. Nesta pesquisa, os entrevistados apontam quem eles pretendem votar na eleição de outubro, sem que o entrevistados apresente nomes. Esta é a primeira vez que a petista fica na frente do presidente Lula na pesquisa espontânea de intenção de voto. José Serra, pré-candidato do PSDB, vem em segundo lugar em 14,4%. O presidente Lula, em terceiro lugar no ranking, foi citado por 9,7%, Marina Silva (PV), Ciro Gomes (PSB), Geraldo Alckmin (PSDB) e Aécio Neves (PSDB) foram citados por menos de 1% dos entrevistados. Na última pesquisa espontânea divulgada pela CNT/Sensus, em fevereiro deste ano, 18,7% dos entrevistados disseram que votariam em Lula para presidente. A ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff (PT) foi apontada por 9,5%. O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) por 9,3%. A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (PV) por 1,6%. A preferência por Aécio Neves tinha ficado em 2,1%, Ciro Gomes, 1,2%. Outros 2,6% votariam branco ou nulo. A 101ª. pesquisa entrevistou 2 mil eleitores, em 126 municípios de 24 estados. A margem de erro é de mais ou menos 2,2%.Transferência de votosA pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira mostra que o presidente Lula, do PT, tem maior poder de transferência de voto que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB. Os entrevistados tiveram que responder se votariam ou não votariam no candidato a presidente apoiado ou indicado por Lula: 27,1% responderam que este candidato seria o único em que ele votaria, enquanto 33,7% disseram que poderiam votar. Não votariam: 20,7%. Só conhecendo o candidato: 15,6%. Em novembro do ano passado, a mesma pergunta foi feita pela pesquisa Sensus e o resultado foi: 20,1% só votariam no candidato de Lula e 31,6% poderiam votar, enquanto 16% não votariam e 27,4% teriam que conhecer o candidato para decidir.

Quando a pesquisa aborda a mesma questão envolvendo Fernando Henrique Cardoso, apenas 5,7% afirmam que só votariam num candidato indicado pelo ex-presidente tucano, e 17,8% poderiam votar. Na pesquisa passada, em novembro, 3% votariam unicamente num candidato apontado por FHC e 14,2% poderiam votar. Não votariam num candidato de FHC: 55,4% Só conhecendo: 16,4%. Em novembro, os números foram: 49,5% e 26%.PACCriado em janeiro de 2007, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) ainda é desconhecido por 46,6% do eleitorado, segundo pesquisa Sensus divulgada nesta segunda-feira pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Em abril de 2007, a mesma pergunta foi feita aos entrevistado e 59% não conheciam o programa.Em três anos, porém, aumentou de 11,3% para 20,8% o número de pessoas que tem acompanhado a evolução do PAC. Também aumentou de 20,9% para 30,1% a quantidade de entrevistados que já ouviu falar no programa. O PAC é um dos carros-chefes do governo Lula e da pré-candidatura de Dilma Rousseff.

Entre os que afirmam conhecer o PAC, aumentou de 57,9% para 68,9% o índice de eleitores que avaliam que o projeto tem ajudado o País a crescer.

domingo, 16 de maio de 2010

BRASIL: DA SUBSERVIÊNCIA INDIGNA À MESA DOS LÍDERES MUNDIAIS.



Editorial - Jornal O POVO - 16.05.2010
Protagonismo brasileiro
A proposta brasileira é vista como uma das últimas tentativas de se evitar que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas decida pela adoção de sanções contra o Irã.
15 Mai 2010 - 17h15min
-->Os grandes líderes mundiais aguardam com expectativa o resultado do encontro deste domingo entre o presidente Luis Inácio Lula da Silva, o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, e o presidente daquele país, Mahmud Ahmedinejad. Durante o encontro será discutido um possível acordo que garanta a utilização para fins pacíficos do programa nuclear iraniano, evitando-se a adoção de sanções das maiores potencias do mun do contra o Irã.


A proposta a ser apresentada pelo Brasil é de que sob mediação da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o Irã embarcaria 70% do estoque de urânio baixamente enriquecido, para ser convertido em outro país em cápsulas de combustível compatíveis para produção de isótopos de uso médico. A Turquia já se prontificou a ser depositária desse urânio, o que daria garantias de que o programa nuclear iraniano não seria usado com intenções bélicas ou para ameaças. Se até agora o Irã faz restrições a proposta por considerar que não haveria garantias de receber de volta esse urânio enriquecido depositado em outro país, um fato positivo é que acenou com contraproposta no sentido de um intercâmbio gradual desse material, o que pode ser entendido como aceno de um possível diálogo. Nesse sentido, a proposta brasileira é vista pelo mundo como uma das últimas tentativas de se evitar que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas decida pela adoção de sanções. Na última sexta-feira, mesmo com a desconfiança de países como o Estados Unidos em relação ao sucesso das negociações, o Brasil recebeu importante apoio do presidente russo, Dmitri Medvedev, que disse esperar que a missão do presidente brasileiro seja coroada de êxito. Em Moscou, Lula chegou a prognosticar que as chances do acordo ser concretizado seriam de 99%. Caso isso se confirme, não há dúvida de que o Brasil entrará para a história pela iniciativa de intermediar essa constante ameaça de conflito que há anos se arrasta e amedronta a humanidade. Mesmo que a solução negociada não se dê, porém, o papel exercido pelo Brasil nesse contexto já merece ser destacado pelo protagonismo que assumiu.


Criticado dentro e fora do Brasil quando tomou a posição de propor o diálogo com o Irã, sob o argumento de ser melhor a aproximação do que o afastamento, o presidente Lula é atualmente, sem dúvida, o único líder mundial a ser escutado por aquele país Irá sobre o tema. Isso foi possível porque quando todos seguiam a posição dos EUA de isolar o Irã por meio de ações duras, o Brasil mudou o foco da discussão, propondo a saída negociada. Para os céticos em relação a concretização do acordo resta aguardar o resultado da reunião de logo mais. A humanidade torce pela paz.

NO DISTRITO FEDERAL COMEÇOU ASSIM...



(Blog do Eliomar de Lima)

“Quarenta dias depois de deixar oficialmente o governo de São Paulo, o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, tem usado estrutura do Estado em sua pré-campanha.
O ex-governador, que transmitiu o cargo para o vice Alberto Goldman em 6 de abril, conta com policiais militares na sua segurança. Em São Paulo, ele e seu staff têm ido a eventos em carros oficiais. Além disso, os gastos com combustível e celular usados pela equipe de segurança também ficam a cargo do governo.
Amparado em decreto estadual, de março de 2004, o governo afirma, em nota, que não há ilegalidade no uso da segurança do Estado. O decreto prevê ‘a prestação de serviços de atendimento funcional e, complementarmente, de segurança’ a ex-governadores durante todo o mandato do sucessor.”
(Folha Online)

DEFINIDO O CANDIDATO A VICE DE MARINA. O EMPRESÁRIO DONO DA NATURA.



(Blog do Eliomar de Lima)
A pré-candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, anunciou, neste domingo, no Rio, o presidente da Natura, Guilherme Leal, como seu vice. O pré-lançamento da candidatura dela ocorre em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, ocasião em que o deputado federal Fernando Gabeira, também está sendo lançado como pré-candidato ao Governo do Rio de Janeiro.

Gulherme Leal disse que aceitar o convite de Marina não foi uma decisão fácil, mas foi impossível negar a convocação.
(Com Agências).


VAMOS NÓS: A Marina tem uma bela trajetória de vida. Pessoal e política. Espera-se que ela não manche a sua história fazendo o jogo do PSDB/DEM, que articulam em torno de si a direita brasileira, como tem feito em algumas de suas falas.

sábado, 15 de maio de 2010

A FÓRMULA É SIMPLES. E É NO MUNDO TODO: TÁ BOM CONTINUA...DILMA PASSA À LIDERANÇA NAS INTENÇÕES DE VOTO.

Dilma tem 37% dos votos contra 34% de Serra, diz Vox Populi

Ivan Satuf - Estado de Minas

Mateus Castanha - Estado de Minas

Publicação: 15/05/2010 17:34 Atualização: 15/05/2010 18:23

PSDB e PT aparecem tecnicamente empatados - (Gladyston  Rodrigues/EM/D.A Press)
PSDB e PT aparecem tecnicamente empatados
Números divulgados neste sábado pelo instituto Vox Populi revelam que a campanha presidencial se mantém equilibrada. Na pesquisa estimulada, na qual a lista de candidatos é apresentada aos eleitores, Dilma Rousseff (PT) aparece com 37% das intenções de votos, contra 34% de José Serra (PSDB). A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Portanto, PT e PSDB aparecem tecnicamente empatados.

A terceira colocada, Marina Silva (PV), tem a preferência de 7% dos eleitores. Os votos brancos e nulos somam 8% e 14% não responderam ou não souberam responder.

Petistas e tucanos também estão parelhos num eventual segundo turno. A pesquisa revela que 40% dos eleitores preferem Dilma e 38% ficariam com Serra. A margem de erro coloca os dois pré-candidatos em empate técnico. Os votos nulos e brancos somariam 9%. Outros 13% de eleitores não responderam ou não souberam responder.

Lula garante votos

O apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua garantindo transferência de votos à pré-candidata do PT. Entre os eleitores entrevistados, 33% dizem que votariam com certeza no candidato apoiado pelo atual presidente. Outros 30% poderiam votar no candidato indicado por Lula, mas dependeria do nome escolhido. Somente 10% disseram que não votariam no candidato apoiado pelo mandatário e 24% não levariam a opinião do presidente em conta na hora de escolher o candidato.

No fim do mandato, presidente continua em alta com o eleitorado -  (Wellington Pedro/Imprensa MG)
No fim do mandato, presidente continua em alta com o eleitorado
Os dados mostram Marina Silva como a pré-candidata com maior nível de rejeição (21%), seguida de Serra (20%) e Dilma (15%). A pesquisa foi protocolada sob o número 11.266/2010. Foram entrevistados 2 mil eleitores em 117 municípios brasileiros de todas as regiões entre 8 e 13 de maio.

Disputa regional

A petista tem a preferência dos eleitores em quatro das cinco regiões brasileiras: Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste. Já Serra, vence no Sul do país.

A maior diferença percentual a favor de Dilma é no Nordeste, onde o presidente Lula goza de enorme prestígio. A pré-candidata do PT tem 44% das intenções de voto, contra 29% de Serra. No Sudeste, a disputa é acirrada. A petista tem 35%, contra 34% do tucano. No Centro-Oeste, Dilma tem 33% das intenções de voto, contra 31% de Serra. No norte, Dilma lidera com 41%, contra 32% de Serra.

Já na Região Sul, o pré-candidato do PSDB lidera com grande vantagem. Serra tem 44% das intenções de voto, enquanto Dilma tem a preferência de 30% dos eleitores.

Confira a pesquisa completa na edição impressa do Estado de Minas deste domingo

VAMOS NÓS: Esse virada nas intenções de votos tem uma claríssima explicação: na medida em que o povo percebe quem é candidata do PT, ou seja, a candidata que representa a garantia de continuidade das grandes conquistas do povo brasileiro alcançadas nesses quase oito anos, o voto se difine. Afinal, em qualquer processo eleitoral, em qualquer parte do mundo, a pergunta que o eleitor se faz é : o País vai bem? O partido que está governando está dando conta do recado? Se está, se deve dar continuidade ao projeto. Se não está, se muda. Ou para usar uma expressão futebolística, NÃO SE MEXE EM TIME QUE ESTÁ GANHANDO.
Duas coisas se destacam nessa pesquisa: a Dilma, candidata do PT/Lula não só ultrapassou o candidato do PSDB/FHC, como passou a ser a candidata com o menor índice de rejeição. Mais: a única região em que está atrás é o Sul (atenção, atenção, não confundir com o Sudeste - principais estados: São Paulo, Minas, Rio Janeiro).
Outra constatação: o eleitorado brasileiro tem sido implacável com ex-petistas. Taí mais um exemplo. A Marina Silva, que fez toda a sua trajetória sob as asas do PT, é a candidata com o maior índice de rejeição.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

EXCELENTE DISCUSSÃO: FICHA LIMPA TAMBÉM PARA OS ELEITORES. QUEM VENDE O VOTO É FICHA SUJA...


Limpeza geral: deputados contestam voto de presos e cobram ficha limpa de eleitores
O magistrado não comentou a relação com o projeto ficha limpa, em análise pelo Senado, que veta a candidatura de políticos condenados por uma decisão colegiada
Em audiência ontem, 13, para discutir o voto de presos provisórios, deputados contestaram o esforço da Justiça Eleitoral de garantir a aplicação da medida. Os parlamentares argumentaram que o eleitor precisa ter a “ficha limpa”, assim como os candidatos, conforme o projeto aprovado na Câmara que proíbe o registro de políticos com problemas com a Justiça. Resolução editada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no início de março prevê a instalação de seções eleitorais em presídios para que presos sem condenação definitiva e jovens internados pela Justiça possam votar no pleito de outubro.
Para o deputado Marcelo Itagiba (PSDB-RJ), não há motivo para incentivar o voto dos presos provisórios porque foi a própria Justiça que determinou a restrição de liberdade. “Ficha limpa não deveria ser exigida do representante e do representado?”,
questionou. Existe o risco, segundo o deputado, de que os presídios se transformem em “currais eleitorais para fichas sujas”. “Há um equívoco nessa discussão. Não é o Estado que tira o direito ao voto, mas os próprios presos por suas ações”, defendeu o deputado Paes de Lira (PTC-SP), para quem a resolução é um “suposto avanço”. Um projeto de lei de autoria do parlamentar prevê a criação de um mecanismo de justificativa de voto automática para os presos provisórios.
O ministro do TSE Joelson Costa Dias rebateu os parlamentares e afirmou que o voto para presos provisórios está previsto na Constituição Federal. O magistrado não comentou a relação com o projeto “ficha limpa”, em análise pelo Senado, que veta a candidatura de políticos condenados por uma decisão colegiada (tomada por mais de um juiz). Os deputados também mostraram preocupação com a segurança da votação nos presídios.
Perpétua Almeida (PC do B-AC) disse duvidar da garantia de sigilo do voto de presos provisórios. Para a parlamentar, a resolução do TSE deveria ter sido publicada antes de março para que os presídios tivessem mais tempo de se preparar. “As seções não serão mais vulneráveis que as outras”, retrucou o ministro Dias.

PSDB E DEM, DO ZÉ SERRA, PARA BENEFIFICAR GRANDES EMPRESAS TENTAM IMPEDIR PROJETO DE BANDA LARGA NAS ESCOLAS.

Deputados da bancada petista na Câmara rechaçaram nesta quinta-feira (13) a tentativa da oposição de obstruir a votação do projeto de lei que garante internet banda larga nas escolas de todo o país.
De acordo com os parlamentares, o pano de fundo da obstrução é a política de privatização do DEM e do PSDB que temem que a expansão pública dos serviços de telecomunicação no Brasil interfiram nos negócios milionários das empresas do setor. Na noite de quarta-feira a oposição obstruiu duas sessões de votação do Plenário da Câmara que apreciariam a proposta. A matéria tramita em regime de urgência.
"Esta é uma visão entreguista da oposição que busca assegurar um mercado de reserva para o setor privado da área de telecomunicações no Brasil. A oposição está impedindo a aprovação desta proposta porque representa os interesses das grandes empresas de telecomunicações que atuam no mercado nacional", explicou Jilmar Tatto (PT-SP).
Para o setor privado, explicou o parlamentar, não é interessante ter que concorrer com uma estatal no ramo da telecomunicação. "Na visão do setor privado, o sistema de Internet banda larga não é viável para todas as regiões do país.
Com isso, mais de três mil municípios brasileiros que estão mais distantes das regiões desenvolvidas do país são excluídos. Por isso que o governo Lula quer uma política pública de inclusão digital. Uma das grandes maldades da privatização é que ela privilegia o setor privado com o filé mignon e deixa o osso para o Estado", afirmou.
Analfabetismo digital
Para o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), a postura retrógrada da oposição também carrega a visão neoliberal do DEM e do PSDB que não querem de maneira alguma acabar com o analfabetismo digital no país. "Esse projeto é fundamental porque vai permitir que as crianças de qualquer lugar do país tenham acesso à banda larga nas escolas. A oposição teme que o povo brasileiro tenha computador com banda larga nas escolas. Trata-se de um cálculo eleitoral que não leva em conta o prejuízo que a população brasileira terá. Este processo de obstrução iniciado pela oposição é um desserviço ao país", lamentou.
O deputado Pedro Wilson (PT-GO) destacou os aspectos positivos da proposta e lembrou que o governo Fernando Henrique Cardoso, que comandou o país durante oito anos, nada fez em prol da universalização do acesso à Internet. "Esse processo começou em 1996, com o projeto que criou o Fust e com a nova Lei das Telecomunicações. O Governo FHC teve de 1996 a 2002 para fazer algo e não fez. O presidente Lula mandou o projeto para o Congresso há quatro anos e ainda assim a oposição quer mais tempo para analisá-lo", disse.
Universalização
Em discurso no Plenário da Câmara, o deputado Eduardo Valverde (PT-RO) lamentou a postura da oposição e ressaltou os aspectos positivos da universalização da Internet. "Se deixarmos este setor tão somente na mão de empresas privadas, como ocorre hoje com as telefonias móvel e fixa, certamente esse serviço não chegará às regiões mais distantes e aos segmentos mais empobrecidos da nação. A Internet é informação, conhecimento e empoderamento das classes menos favorecidas do país", afirmou.
www.ptnacamara.org.br