domingo, 17 de outubro de 2010

EMBORA MARINA RECONHECENDO QUE DILMA ROUSSEF ACOLHEU MELHOR AS PROPOSTAS DO PV, O PARTIDO ADOTARÁ A NEUTRALIDADE NO SEGUNDO TURNO.

17/10/2010 - 13h58
Marina oficializa neutralidade para segundo turno
Publicidade
BERNARDO MELLO FRANCODE SÃO PAULO
Atualizado às 14h20.
Terceira colocada na eleição presidencial, Marina Silva (PV) oficializou na tarde deste domingo a opção pela neutralidade no segundo turno, como a Folha antecipou neste domingo.
Em votação simbólica, a ex-presidenciável, que recebeu 19,6 milhões de votos, referendou a posição para a nova etapa da corrida presidencial.
Dos 92 votantes, apenas quatro declararam apoio a Dilma Rousseff (PT) ou José Serra (PSDB). Mesmo Fernando Gabeira, o candidato derrotado ao governo do Rio que contou com o apoio do tucano no primeiro turno, preferiu a independência do partido.
Individualmente, os filiados estão liberados para aderir às campanhas da petista ou do tucano. É o que Gabeira faz ao endossar a candidatura de Serra.
"O fato de não ter optado por um alinhamento neste momento não significa neutralidade quanto aos rumos desta campanha", disse Marina, na convenção do PV em São Paulo, em um espaço cultural na Vila Madalena.
Ela leu carta aberta com críticas ao que chamou de "dualidade destrutiva" entre PT e PSDB. Segundo Marina, os dois partidos pregam a "mútua aniquilação" na disputa entre Dilma e Serra.
"A agressividade do seu confronto pelo poder sufoca a construção de uma política de paz", atacou a senadora. A verde prometeu ainda defender sua fé --ela é evangélica--, sem contudo usá-la "como arma eleitoral" --uma crítica à dominação da pauta religiosa nesta nova fase da disputa.
O secretário de Comunicação do PV, Fabiano Carnevale, afirmou à Folha antes da convenção que a cúpula do partido se comprometeu a não aprovar decisão diferente da de Marina. "Está combinado que a posição oficial do PV será a mesma de Marina. Vamos marchar juntos."
VAMOS NÓS: Como o PSDB tem feito uma campanha ressuscitando temas medievais e conservadores, como vai explicar o apoio do Fernando Gabeira que defende o aborto, a legalização das drogas e manter o discurso fundamentalista que tem marcado o segundo turno?

17 comentários:

Deodato Ramalho disse...

Essa decisão do PV foi uma vitória para a Dilma pois a direção do PV queria apoiar o Serra, mas a Marina não. Por isso, ela fez questão de declarar que a candidata Dilma Roussef acolheu melhor as propostas do PV. Como a maioria da cúpula do PV tem ligação antiga com o PSDB, a saída negociada foi um duro golpe na campanha tucana. A Marina levou em conta a forte pressão que recebeu de aliados históricos do movimento ambientalista, como o Frei Leonardo Boff, que, inclusive, já advertiu à Marina que o povo pobre não a perdoará, mesmo nessa neutralidade, se os conservadores, elitistas e antipovo voltarem ao poder.

Anônimo disse...

Não entendo esta radio asa branca antes ñ falava mal de Dilma e agora os locutores passa o tempo todo fando só besteira que ninguem aguenta,só os baboes é que suporta ouvir.
Eu pensei em votar no Serra,mas c/ tanta besteira dessa Asa branca que vou preferir Dilma.

Prof Alfredo Carlos ! disse...

A neutralidade foi excelente para Dilma. Embora todos nós sabemos que o voto pessoal da Marina Silva é para Dilma. Beleza, gostei muito da atitude do PV.

Anônimo disse...

Assisto com certa apreensão a campanha política para presidente. A difamação e injúrias tomaram o lugar das propostas e projetos para melhorar a educação, saúde, segurança pública e meio ambiente. O que mais me assusta, é o preconceito emergido, e que, apesar do povo brasileiro se julgar sem preconceitos, acredito que essa seja uma das sociedades mais preconceituosas do mundo. Reflitam sobre o que realmente é mais importante e o que realmente é prioridade. ok.

Anônimo disse...

Então vou lhe chamar de SERRANÃO.
Serranão mamãe, Serranão mamãe, Serranão mamãe, Serranão mamãe,
Serranão mamãe, Serranão mamãe, Serranão mamãe, Serranão mamãe.

Então vou lhe chamar de DILMASIM.
Dilmasim mamãe, Dilmasim mamãe, Dilmasim mamãe, Dilmasim mamãe,
Dilmasim mamãe, Dilmasim mamãe, Dilmasim mamãe, Dilmasim mamãe.

Anônimo disse...

um neoliberal travestido de compadecido,que venderá tudo que o país tem como já tentaram fazer no passado.

Lascou!


PSDB NUNCA MAIS!!

Amâncio José disse...

Já esperava essa decisão do PV, principalmente pelo fato do partido já ser aliado do PSDB em alguns estados como Rio de Janeiro e São Paulo, inclusive participando do governo tucano nesse último. Agora, uma pessoa com a história da Marina não podia se posicionar pela neutralidade. Em respeito a sua história de vida e de luta construída dentro do PT, ela teria que se posicionar pelo voto na Dilma. É sabido de todos que a história dela foi forjada nos movimentos sociais, exatamente tudo que o PSDB e aliados criminalizam. A própria já foi agredida pelo PSDB ao longo da sua luta. Portanto se ela fosse coerente teria que optar pela Dilma, assim como fez o PSol, que mesmo com restrições, declarou o apoio a Dilma.

Anônimo disse...

Dr. Deodato eu gostaria de perguntar ao senhor se não existe algo que possa ser feito para evitar que a escola técnica agrícola seja transformada num reles depósito. num município desse onde não temos nenhuma perspectiva de surgimento de uma escola de educação superior, deixar que se destrua uma escola daquelas ?! ali poderia funcionar uma grande universidade. as instalações internas da escola agrícola são coisas de 1º mundo. O senhor deve ter ido lá alguma vez e pode confirmar o que estou dizendo. Meu Deus! estou indignado com a depredação daquele espaço.aguardo uma resposta do senhor.

Anônimo disse...

Engraçado como o Deodatinho esconde os fatos, não sei se de propósito ou por desconhecê-los. Não sei mesmo nem em qual motivo acreditar. O fato é que a senadora Marina Silva deixou o Governo do Lula e também o PT exatamente por divergências com a então Ministra-Chefe da Casa Civil, Dilma Roussef. Quem não lembra, à época, o traço que a turma do Lula deu na Marina. O Programa da Amazônia Sustentável (PAS), criado pela Marina Milva, teve simplesmente entregue a sua gestão a Mangabeira Hunguer, Ministro para Assuntos Especiais da Presidência da República. Ou seja, a criatura (o dito programa) não foi dado a sua criadora, Marina Silva, para executá-lo. Isso ocorreu com a chancela da Casa Civil. Hoje, a candidata do Dr. Deodato, defende o PAS, mas por que não se pronuncia sobre o ocorrido naquela época? Pq não diz o motivo da Marina ter pedido o boné? Será medo de perder os poucos votos da Marina que ainda lhes restam?
Agora, acho incrível mesmo é a capacidade do Deodatinho em tratar os temas deste blog assim, sem levar em conta as versões dadas por todos os jornais e revistas.
Será tendência deste blog? Se for, é uma pena para a liberdade de expressão aí em Boa Viagem, que anda tão desprovida de meios sérios de comunicação!

Anônimo disse...

No seguinte site, os leitores deste blog poderão ver os reais motivos pelos quais Marina Silva deixou o Governo Lula e o PT:

http://noticias.uol.com.br/politica/2009/08/19/ult5773u2130.jhtm

Segue, para reflexão dos moderadores deste blog, o trecho da carta encaminhada pela Marina ao presidente do PT:

"""Tive a honra de ser ministra do Meio Ambiente do governo Lula e participei de importantes conquistas, das quais poderia citar, a título de exemplo, a queda do desmatamento na Amazônia, a estruturação e fortalecimento do sistema de licenciamento ambiental, a criação de 24 milhões de hectares de unidades de conservação federal, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade e do Serviço Florestal Brasileiro. Entendo, porém, que faltaram condições políticas para avançar no campo da visão estratégica, ou seja, de fazer a questão ambiental alojar-se no coração do governo e do conjunto das políticas públicas."""

Outro trecho, mas, agora, da Carta endereçada ao Presidente Lula:

"""Durante essa trajetória, V. Excia é testemunha das crescentes resistências encontradas por nossa equipe junto a setores importantes do governo e da sociedade. Ao mesmo tempo, de outros setores tivemos parceria e solidariedade."""

Interessante que, na época, todas as dificuldades de Marina junto a setores importantes do Governo foram creditadas à Dilma Roussef, Ministra-Chefe da Casa Civil.

Será que este blog vai ter a coragem de publicar isto aí acima?

Lilia disse...

Venho a descorda do senhor Amâncio Jose é realmente pela historia de Marina que ela deve se manter na neutralidade. Pois apoio político não deveria ser feito por historias (Passado) e sim por Propostas e melhorias para o Pais e o que vemos e ouvimos?Uma campanha Vergonhosa de Dilma e Serra . Cadê as propostas? Onde vamos melhorar? Alguém viu? Pois só vejo ameaças,escândalos,supostas calunias Tanto de Dilma quanto de Serra.

Deodato Ramalho disse...

Não preciso responder a esse anônimo ou anônimo. A própria Marina Silva já respondeu quando, publicamente, declarou que a candidatura Dilma é a que representa melhor o acolhimento de suas propostas. A Marina Silva e todos os organismos internacionais reconhecem o avanço do Brasil na questão ambiental, inclusive pela diminuição do desmastamento da Amazônia e o atingimento das metas estabelecidas em Copenhague. Na verdade, a Marina evitou que o PV, cuja cúpúla tem ligações com o PSDB, declarasse apoio ao Serra. Aguardem: os ambientalistas mais respeitados que se articulam em torno da liderança da Marina Silva estarão todos com Dilma (Pedro Ivo, cearense principal assessor da Marina, Frei Leonardo Boff etc).
Se esse anônimo(a) for um jovem indago: você sabia que o DEM do vice do Serra ajuizou ação contra o PROUNI? Sabia que são milhares jovens beneficiados pelo programa?

Deodato Ramalho disse...

Outra coisa: muitos utilizam o discurso duplo. Ora, atacam o governo porque não tem uma visão radical sobre a combinação desenvolvimento/respeito ao meio ambiente; ora, por conveniência, atacam o governo quando algum empreendimento não é liberado por conta das questões ambientais. Exemplo: ataques contra a prefeitura de Fortaleza porque respeitam a lei do Município que proíbe estaleiro na praia do Titanzinho. Hipocrisia? Má fé? Ignorância?

Deodato Ramalho disse...

Hoje mais duas grandes notícias sobre o sucesso do governo do PT:
1. 33% de aumento na oferta de emprego na construção civil, comparando-se com o ano anterior. Daqui ao fim do ano serão 150.000 vagas novas (há mais oferta do que mão-de-obra disponível);
2. ONU elogia o Brasil por ter sido o País que mais avançou no combate à miséria.
Quem tem saudades do desgoverno do PSDB? Quem está desinformado? Quem aprova governos que governam apenas para os ricos?

Anônimo disse...

Mas, Dr. Deodato, pq mesmo a Marina Silva deixou o Governo Lula e o PT?? Foi verdade que houve confusão entre ela e a Dilma?

Deodato Ramalho disse...

A Marina saiu do governo por discordância quanto ao ritmo das ações ambientais, situação, aliás, bastante comum em qualquer governo. Mesmo saindo a Marina deixou claro, mesmo no discurso de saída, que reconhecia os avanços do Brasil na pauta da sustentabilidade ambiental. Qualquer governo democrático, em qualquer parte do mundo, caminha assim: pressões e contra-pressões em face das naturais disputas de projetos. Na questão ambiental há a pressão pelo desenvolvimento, de um lado, e, de outro, a pressão por mais rigor nas liberações de alguns empreendimentos. Veja o exemplo da tentativa do governo do Estado quanto ao Estaleiro aqui em Fortaleza. Todo o pessoal da Marina bateu palmas para a decisão da Prefeita Luizianne Lins de não aceitar alteração da lei para permitir o empreendimento. Os que, falsamente, adotam o discurso ambiental (exemplo: os que, de repente,de fachada, passaram a defender a Marina), eram os mesmos que atacaram a prefeita porque não abriu mão da defesa ambiental no Titanzinho... Percebe aí o jogo de cena?
A Marina deixou claro: a Dilma é que melhor acolheu as suas propostas. Os ambientalistas históricos, os que, efetivamente, seguem a liderança da Marina Silva, estão com Dilma. Pedro Ivo (cearense e braço direito da Marina) e Leonardo Boff, estão à frente de um manifesto desses ambientalistas defendendo o voto para Dilma 13. O Brasil, hoje, é um dos países em desenvolvimento mais respeitado nessa questão dos compromissos ambientais. Todos reconhecem isso, embora alguns, por defenderam uma posição mais radical, tenham críticas a alguns aspectos dessa política, como, por exemplo, a questão do agronegócio.

Anônimo disse...

Ainda bem que vc, Deodato, falou com bastante categoria. Em um país democrático, nada se conquista da noite para o dia. Tudo o que foi feito pelo Governo do PT não é mais do que decorrẽncia de obrigação imposta a qualquer gestor público. Este tem que agir com probidade, dar continuidade aos programas que estão dando certo, arrumar outros e tocar pela frente. Lula fez isso comj o Brasil. É difícil ver os avanços de hoje sem lembrar dos desafios de um Presidente da República na década de 90, em que a inflação chegava a quase 90%. Ninguém podia comprar nada. O Brasil não investia no exterior. Tudo por conta da moeda fraca. Sem falar, do mar de corrupção que o país estava atolado, após os escândalos do Governo Collor. O Presidente FHC fez muito pelo Brasil, sim! O Lula deu continuidade, muito embora tenha adotado técnicas arcaicas para angariar apoios e sustento no Congresso Nacional. O desafio que se impõe hoje é outro. Não é mais privatizar ou estatizar. Essa pauta não é mais a do Brasil atual. Temos que perguntar sobre quem tem mais competência para fazer com que o Brasil continue avançando. Lembra das metas de FHC? São elas, Deodato, quer queiram ou não, doa ou não aos petistas, que ainda estão na pauta dos brasileiros. Sobre essas questões levantadas no último cometário, tenho uma dúvida, que, se preferir, não precisa responder, ok? A mesma turma que endeusa a Dilma aqui no Ceará, que, inclusive, coordena a sua campanha aqui, não é aquela que criticou ferrenhamente a Administração Municipal de Luizianne e recentemente lamentou a perda estaleiro? Bem, são essas as minhas primeiras colocações, depois, volto a tecer mais.